Links de Acesso

Governador de Benguela pede sacrifício a famílias desalojadas

  • João Marcos

Pescadores na Baía Farta, no sul de Benguela

Pescadores na Baía Farta, no sul de Benguela

Na primeira declaração a propósito do desalojamento das 135 famílias na Baía Farta, o governador provincial de Benguela apelou ao sacrifício em nome de uma obra que deveria ter sido implantada há já 60 anos.

Isaac dos Anjos, que hoje, 21 Novembro, esteve na vila piscatória, considera que as cerca de mil pessoas podem ficar ao relento durante algum tempo, enquanto se constrói o centro para venda do peixe.

Sem nunca ter dado resposta às preocupações das famílias, desprovidas de dinheiro para a construção de casas, o governante afirmou que o processo de realojamento é um assunto da Administração Municipal.

Isaac dos Anjos aproveitou a ocasião para dar a conhecer que a lota, um investimento de USD 14 milhões, estará pronta no próximo ano, muito para lá do inicialmente previsto.

Isaac dos Anjos ao centro

Isaac dos Anjos ao centro

‘’É preciso que se veja a obra, a construção de um cais para barcos de pequeno e médio porte. Uma obra que nos últimos 60 anos não foi feita, daí que tenhamos pontes de madeira’’, salienta Dos Anjos, que fala em ‘narcisismo’ próprio do angolano, que só critica e denigre, não valoriza o bom.

Por tudo isto e muito mais, diz o governador de Benguela, vale a pena experimentar a dor da falta de um tecto.

‘’Com o empreendimento que tem infra-estruturas, queremos melhorar as condições daquela gente. Portanto, ficarem algum tempo ao relento, não faz mal, vale a pena o sacrifício’’, indica.

Isaac dos Anjos, governador provincial de Benguela, na hora do apelo ao sacrifício de várias famílias em nome do centro de venda de peixe na vila da Baía Farta.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG