Links de Acesso

GAFI deixa de monitorizar Angola

  • Redacção VOA

BNA diz que autoridades cumpriram regras contra branqueamento de capitais e financiamento de terrorismo. Qualidade de crédito vai melhorar, diz o banco central

O Banco Nacional de Angola (BNA) anunciou, que o país deixou de estar sobre monitorização do Grupo de Acção Financeira Internacional (GAFI) contra o branqueamento de fundos e financiamento ao terrorismo.

Num comunicado o banco central angolano disse que isso se deve ao “cumprimento escrupuloso” por parte das autoridades angolanas das regras internacionais.

"Congratulamo-nos com a decisão do GAFI. A remoção de Angola da lista de monitoramento contra o Branqueamento de Capitais (AML) irá melhorar a qualidade de crédito do país e das instituições financeiras locais", diz o comunicado.

O BNA afirma que o país estabeleceu um programa com diversos regulamentos apoiados pelo GAFI e ainda “um quadro jurídico apropriado” e "procedimentos automatizados de vigilância" dos clientes "de forma mais rápida e precisa, levando a um melhor controlo das transações em curso e vigilância dos mesmos".

Foi ainda garantida, sustenta o BNA, a autonomia da Unidade de Informação Financeira (UIF) e recomendado ao setor privado "maior coesão e melhoraria da qualidade dos relatórios".

No final do ano passado o ministro da justiça angolano Rui Mangueira esteve em Washington para discutir com as autoridades americanas, entre outros assuntos, o trabalho que Angola estava a realizar para cumprir as exigências.

Angola, disse na altura o ministro, já tinha cumprido todas as tarefas e esperando portanto em principio sair do “campo da supervisão” no âmbito daquela organização.

“Em princípio isso deverá acontece no mês de Fevereiro”, garantiu na altura Mangueira.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG