Links de Acesso

Síria e Iémen reprimem manifestações, NATO ataca Kadhafi


Manifestações pró-democrcia no Iémen

Manifestações pró-democrcia no Iémen

Forças governamentais abriram fogo de metralhadora contra manifestantes em Taiz, a principal cidade industrial do Iémen

Na Síria e no Iémen, forças governamentais continuam a esmagar forças da oposição envolvidas em manifestações pró-democracia, enquanto a capital líbia voltou a ser alvo de bombardeamentos por parte da aviação da NATO, visando o quartel-general de Kadhafi, poucas horas depois deste ter feito uma comunicação ao país pela televisão.

Do Iémen chegam notícias de que se registaram doze feridos na sequência de recontros entre as forças de segurança e manifestantes, um dia depois de terem sido mortas, pelo menos nove pessoas, em manifestações pró-democracia.

Testemunhas oculares e fontes hospitalares dizem que as forças governamentais abriram fogo de metralhadora contra manifestantes em Taiz, a principal cidade industrial do Iémen, cidade que tem estado sitiada há vários dias. Ontem mesmo, as forças de segurança abriram fogo sobre dezenas de milhar de manifestantes que exigiam a demissão do presidente Ali Abdullah Saleh.

Na Síria, activistas afirmam que forças governamentais expandiram, esta quinta-feira, as suas acções para esmagar o levantamento popular da oposição, colocando blindados em redor da cidade histórica de Hama, o preciso local onde, há 20 anos atrás, o actual regime sírio esmagou uma revolta.

Hafez al-Assad, que antecedeu o seu filho Bashar al Assad como presidente bombardeou a cidade de Hama em 1982, para esmagar um levantamento da etnia sunita, tendo morto perto de dez mil pessoas, de acordo com grupos de defesa dos direitos humanos.

Num outro desenvolvimento noticioso, aviação da NATO desencadeou hoje mais uma série de bombardeamentos contra a capital da Líbia, tendo sido atingido o complexo onde Muamar Gadhafi habitualmente se encontra. Os ataques da NATO ocorreram poucas horas depois do líder líbio ter feito um discurso pela TV, num momento em que rebeldes da oposição anunciavam terem assumido o controlo da cidade portuária de Misrata, incluindo o seu aeroporto.

Aqui em Washington, o senador democrata John Kerry anunciou estar a preparar legislação a apresentar ao Congresso dos EUA com o objectivo de transferir os bens que foram congelados a Gadhafi para o conselho da oposição líbio, que está a combater as forças governamentais.

XS
SM
MD
LG