Links de Acesso

Novo Governo de Cabo Verde apresentado hoje

  • Redacção VOA

Ulisses Correia e Silva, primeiro-ministro de Cabo Verde

Ulisses Correia e Silva, primeiro-ministro de Cabo Verde

Quatro vice-presidentes do partido assumem pastas cruciais no Executivo de Ulisses Correia e Silva que, num total de 12 membros, tem três mulheres.

O presidente do Movimento para a Democracia (MpD), partido vencedor das eleições gerais de 20 de Março em Cabo Verde, apresenta na manhã desta sexta-feira, 8, ao Presidente da República a sua proposta de estrutura do Governo e seus membros.

A VOA sabe que Ulisses Correia e Silva vai manter a sua proposta de um elenco governamental com não mais de 12 ministros, aos quais poderá acrescentar alguns secretários de Estado.

Os quatro vice-presidentes do partido acompanham o primeiro-ministro no Executivo, com Fernando Elísio Freire a assumir a Presidência e dos Assuntos Parlamentares, Olavo Correia a dirigir as Finanças, Luís Filipe Tavares a comandar o Ministério dos Negócios Estrangeiros, que substitui o actual Ministério das Relações Exteriores, e Janine Lélis a chefiar o Ministério da Justiça.

Uma das surpresas do novo Governo é a nomeação de José Gonçalves para o Ministério da Economia, que deverá ter pelo menos um secretário de Estado.

A surpresa deve-se ao facto de Gonçalves estar fora de Cabo Verde desde que o MpD saiu do poder em 2001, depois de ter liderado durante muito tempo o processo de privatizações durante o Governo então chefiado por Carlos Veiga. Há anos, ele vinha trabalhando como consultor em Timor Leste.

O escritor e pintor Abraão Barbosa Vicente, responsável pela comunicação do MpD nos últimos meses, foi o escolhido para tutelar a Cultura e Comunicação Social, enquanto o médico Arlindo do Rosário, um dos fundadores do partido, vai se ocupar da Saúde.

Além de Lélis, o Governo de Ulisses Correia e Silva tem mais duas mulheres, a independente Maritza Rosabal, uma cubana a viver rem Cabo Verde há mais de 30 anos, como ministra da Educação, e a ex-deputada Eunice Silva como ministra das Infraestruturas, Habitação e Ordenamento do Território.

Por confirmar está a criação de um Ministério da Agricultura ou do Ambiente, que, na prática, se ocuparia desses dois sectores.

Dúvidas

Ao que a VOA sabe, Daniel Levy e Gilberto Silva foram os nomes avançados por Ulisses Correia e Silva na reunião da Comissão Política Nacional, à qual apresentou a sua proposta. Desconhece-se escolha final.

Para a Administração Interna, o futuro primeiro-ministro teve como primeira escolha o advogado Eurico Monteiro, um dos fundadores do MpD e segundo homem do primeiro Governo do partido em 1991.

Entretanto, Monteiro terá escusado voltar à linha da frente da política a nível governamental.

A jurista e deputada Filomena Gonçalves e o também jurista Paulo Rocha, quadro da Polícia Judiciária e até agora director-geral dos Serviços de Informação da República, foram as segundas apostas de Correia e Silva, tendo, segundo algumas fontes, Rocha sido o nome aprovado pelos dirigentes do partido.

Após apresentar a proposta de Governo ao Presidente da República, Ulisses Correia e Silva deve anunciar o elenco, tendo para o efeito prometido falar com os jornalistas.

Posse do Parlamento

O Parlamento saído das eleições de 20 de Março deve tomar posse no próximo dia 20 e o Governo entrará em funções no prazo máximo de duas semanas.

Com a posse do novo Executivo, o MpD regressa ao poder depois de 15 anos, enquanto o PAICV, após três mandatos consecutivos liderados por José Maria Neves, vai para a oposição.

Na Assembleia Nacional, o MpD terá 40 deputados, PAICV 29 e Ucid três parlamentares.

Informações não confirmadas apontam que Jorge Santos, antigo presidente do partido, e Rui Figueiredo Soares, ministro dos governos do MpD na década de 1990, são os nomes apontados para a presidência do Parlamento.

Fontes da VOA indicam que sectores mais conservadores dentro do partido inclinam-se para Figueiredo Soares, enquanto outros preferem Jorge Santos.

XS
SM
MD
LG