Links de Acesso

Frelimo pede diversificação da economia e responsabilização criminal de Dhlakama

  • Redacção VOA

O Comité Central da Frelimo, partido no poder em Moçambique, exortou nesta sexta-feira, 15, o Governo a diversificar a economia e a pomover um ambiente favorável aos negócios.

A responsabilização de Afonso Dhlakama e dirigentes da Renamo também foi solicitada pelos líderes da Frelimo.

"O Comité Central considera que é preciso estimular os sectores catalisadores do processo de produção, designadamente a agricultura, o turismo e infraestruturas, incluindo o sector de energia”, disse o porta-voz do partido no poder em conferência de imprensa em Maputo.

Ao fazer o balanço dos primeiros três dias da reunião daquele órgão da Frelimo, António Niquice revelou que o partido pediu ao Executivo para atrair o sector privado, principalmente o tecido empresarial moçambicano, para a actividade económica.

Outra medida dos dirigentes do partido no poder apontou para a responsabilização criminal do presidente da Renamo e seus colegas por alegados ataques a civis.

"O Comité Central considera que, face às investidas do senhor Afonso e da Renamo, que põem em perigo a paz, e porque Moçambique é um país de direito e democrático, apela às instituições de direito para que, à luz da lei, responsabilizem todos os que fora e à margem da lei actuam criando pânico no seio da população", reiterou Niquice.

O porta-voz disse que há uma percepção do povo moçambicano, que “clama pela paz e tem estado a condenar veementemente os ataques”, no entanto, os dirigentes do partido no poder voltaram a defender o diálogo como forma de saída para a crise.

A reunião do Comité Central da Frelimo começou na quarta-feira e tem analisado os principais problemas de Moçambique.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG