Links de Acesso

Especialista diz que foi um erro demitir direcção da cadeia do Yabi

  • Manuel José

Cadeias angolanas não seguem os padrões internacionais.

As cadeias angolanas não têm as condições exigidas internacionalmente para a manutenção de reclusos, disse um especialista angolano em questões prisionais

Fernando Falua reagia à VOA à revolta na prisão do Yabi, em Cabinda, que resultou na fuga de centenas de presos e manifestou-se também contra a decisão das autoridades de demitirem a direcção da referida cadeia.

Falua disse que na generalidade a superlotação é um dos problemas que leva a revoltas e isso era um facto no Yabi.

"Yabi é uma cadeia de mínima segurança e há uma superlotação, ou seja tem uma população penal para além da sua capacidade", disse o especialista.

Para além da superlotação, Fernando Falua diz que a falta de ocupação do tempo dos reclusos é outro motivo que leva ao desespero do preso.

"Os nossos presos não tem uma ocupação em pequenos e grandes ofícios que lhes dê uma tranquilidade", explicou.

Uma outra razão na base de motins de presos é juntar todos os tipos de presos numa mesma cela, segundo Falua, para além da necessidade de haver psicólogos nas cadeios, o que não existe.

Fernando Falua manifestou-se também contra a decisão das autoridades de demitir toda a direcção da prisão antes de um inquérito.

"A medida certa seria uma suspensão e não demissão, a criação de uma comissão de inquérito, depois de apurados os factos é que se podia manter ou exonerar a direcção", defendeu.

De acordo com dados oficiais cerca de 150 presos fugiram da cadeia de Yabi, dois foram alvejados e 20 foram capturados.

Outras fontes falam em 300 presos evadidos.

XS
SM
MD
LG