Links de Acesso

FNLA ainda desgastada por convulsões internas

  • Manuel José

Bandeira da FNLA

Bandeira da FNLA

Lucas Ngonda quer expulsar três oponentes; Pedro Gomes acusa-o de procurar apoio do MPLA

Oito meses depois do seu controverso congresso, que foi marcado por cenas de violência na abertura, a FNLA continua a ser afectada por lutas internas.

O presidente eleito Lucas Ngonda quer expulsar três membros do partido, incluindo o filho do fundador. E um dos seus opositores acusa-o de contactar o MPLA para tentar influenciar o tribunal constitucional.

O Tribunal Constitucional ainda não se pronunciou sobre a validade ou não do Congresso do histórico partido.

Fernando Pedro Gomes, um dos derrotados no pleito da FNLA e que solicitou a impugnação do congresso por irregularidades acusa o actual presidente, Lucas Ngonda, de estar a ser instrumentalizado, a manter o partido refém do regime no poder.

“Tomamos conhecimento que esta pessoa foi à sede do MPLA pedir que este pressione o Tribunal Constitucional afim de que o seu congresso seja aferido e depois ele iria cuidar da unidade da FNLA", acusou Gomes para quem “a FNLA nas mãos de Lucas Ngonda não existe”.

Lucas Ngonda reuniu o seu Bureau Político. Um dos pontos discutidos foi a solicitação de um processo para expulsar do partido três membros: Fernando Pedro Gomes, Ndonda Nzinga e Carlitos Roberto, filho do fundador da FNLA Alvaro Holden Roberto

Fernando Pedro Gomes disse que "o partido continua estagnado, hibernado, alheio aos problemas, e lançou um desafio a Lucas Ngonda para apresentar a lista dos membros que participaram no reunião do Bureau Político, que ele organizou”.

“Este foi mais um cenário montado por Ngonda para dar a entender que o partido está a funcionar, quando na verdade a FNLA está morta,” acrescentou.

Gomes espera “honestidade jurídica na apreciação do Tribunal Constitucional, porque as provas suficientes foram apresentadas que este congresso foi uma palhaçada".

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG