Links de Acesso

Filha de Bento Bembe raptada em Kinshasa

  • Venâncio Rodrigues

António Bento Bembe, secretário de Estado angolano para os Direitos Humanos

António Bento Bembe, secretário de Estado angolano para os Direitos Humanos

Incidente coincide com 5º aniversário do Memorando de Entendimento que Bembe assinou com Luanda, à revelia da restante FLEC

Uma filha do secretário de estado angolano para os Direitos Humanos, António Bento Bembe, foi raptada em Kinshasa, no aniversário da assinatura do Memorando de Entendimento que devia ter posto fim ao chamado "problema de Cabinda" - soube a Voz da América (VOA) nesta segunda-feira.

Não foram ainda divulgados pormenores, como o nome e idade da vítima, bem como as circunstâncias e responsável, ou responsáveis, pelo sequestro.

À VOA, Bento Bembe, confirmou o incidente mas disse não pretender fazer quaisquer comentários sobre os possíveis responsáveis, notando apenas: "Não quero fazer acusações contra ninguém".

Uma fonte da FLEC afecta à facção de Alexandre Tati, disse desconhecer pormenores sobre o incidente e insistiu que a FLEC-FAC não tem qualquer responsabilidade no incidente. Um porta-voz de Nzita Tiago, admitiu ter sabido da notícia pela VOA, mas rematou: "Nós não fazemos isso".

António Bento Bembe, figura de proa da FLEC foi o protagonista do Memorando de Entendimento com o governo de Angola e após a sua assinatura, em Agosto de 2006, passou a integrar o governo.

Muitos na FLEC consideram-no um dissidente que fez com Luanda um acordo que só a ele responsabiliza.

André Lello, secretário-geral do Forum Cabindês para o Diálogo, criado nos termos do Memorando, disse em Cabinda que o rapto não afecta a continuação dos esforços para uma paz completa e duradoura em Cabinda.

A vice-governadora de Cabinda, Matilde Dalomba diz que o Memorando não é um trabalho acabado, mas continua a ser um instrumento válido entre o governo e os cabindas que pretendem a paz.

XS
SM
MD
LG