Links de Acesso

Famílias moçambicanas fazem contas depois do aumento do preço do gás

  • William Mapote

Está mais caro cozinhar

Em Maputo, fala-se em "apertar o cinto"

As famílias moçambicanas fazem contas depois da entrada na quarta-feira, 17, do preço do gás de cozinha.

Muitas dizem que já viviam o drama do custo de vida, que agora virou pior.

Ana Machaieie tem 49 e é dona de casa.

Na cozinha, depende do gás doméstico para preparar todas as refeições para a família de quatro membros.

Mensalmente precisa de duas botijas de 11 e nove quilos de gás doméstico.

Até ao início da semana gastava 1343 meticais (cerca de 21 dólares), mas desde ontem passa a pagar 1550 (25 dólares).

Ela concluiu que, com as outras necessidades da casa, a situação vai complicar.

Perante esta situação, diz que o caminho será mesmo apertar ainda mais o cinto.

Num dos postos de venda do gás doméstico encontramos Ester Machocho.

Acabou o seu stock caseiro, justamente no dia em que entrava em vigor a nova tabela.

Das contas inevitáveis que é agora forçada a fazer, a conclusão é a mesma.

Da nova tabela de preços que entraram em vigor esta semana, a gasolina e o gasóleo tiveram um pequeno bónus de reducção.

Ainda assim, o sentimento geral é de que o Governo tirou com uma mão o que deu com a outra.

Ouça a reportagem:

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG