Links de Acesso

Família não questiona testamento de Nelson Mandela

  • Redacção VOA

Congresso Nacional Africano faz 100 anos

Congresso Nacional Africano faz 100 anos

Um dos amigos mais antigos de Nelson Mandela, o advogado George Bizos, disse que o documento é reflexo de um homem extraordinário.

O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela deixou uma herança de 46 milhões de rands, cerca de 4,1 milhões de dólares, da qual metade pertence à sua terceira esposa, Graça Machel, com quem estava casado aquando da sua morte.


O juiz Dikgang Moseneke, na companhia do ex-advogado e amigo íntimo de Mandela, George Bizos, e o juiz Themba Sangoni, leu o testamento do líder histórico do ANC na sede da Fundação Mandela, depois de o mesmo ter sido apresentado aos familiares de Madiba, sem qualquer contestação.

As três propriedades do ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela foram deixadas para a Fundação Mandela, enquanto a casa vizinha ao lugar onde foi sepultado, em Quno, e a propriedade em Johannesburgo deveriam ser usadas pela família para promover uma reunião entre eles.

"É meu desejo que sirva inclusive como um lugar para a família Mandela se reunir e manter a sua união por muito tempo depois da minha morte", escreveu Mandela.

Nos últimos anos, a família de Mandela esteve muitas vezes dividida em várias questões, particularmente em relação ao neto de Mandela, Mandla, o primeiro herdeiro do sexo masculino, segundo a tradição Xhosa, e sua filha mais velha, Makaziwe.

Mandela dividiu a herança em três legados, um deles incluiu um fundo em dinheiro para a família que fica também com os direitos de autor dos livros. Como viúva, Graça Machel tem direito a metade destes bens, mas os advogados fizeram saber que a última mulher do líder histórico sul-africano poderá abdicar desse direito, ficando apenas com propriedades em Moçambique.

Cada um dos filhos de Mandela recebeu, em vida, um empréstimo de 221 mil euros que ficam saldados.

Outro fundo beneficia o Congresso Nacional Africano (ANC), o seu partido, e um terceiro é dividido entre escolas que frequentou e pessoas que trabalharam directamente para Mandela.

Os nove funcionários do staff pessoal de Nelson vão receber cerca de 4.500 dólares.

A chefe do pessoal Xoliswa Ndoyiya disse que a doação foi uma surpresa total: “Foi um choque na minha vida. Eu fiquei chocado por ele se ter lembrado de mim, e me ter dado alguma coisa".

Mandela que falou muitas vezes da importância da educação deixou nove mil dólares a cada uma das escolas que ele frequentou e a mais duas das áreas onde viveu.

O vice-reitor da Universidade de Witwatersrand disse que ao deixar dinheiro a uma instituição que o discriminou diz muito aos alunos.

“Bem, isso é irónico, eu fui ver a história e a universidade pede desculpas por isso. A experiência dele na universidade foi positiva e negativa. Foi positiva, se se olhar para a sua biografia, porque diz que abriu-lhe para novas ideias, também foi negativa por ter sido tão mal tratado. E eu não acho que devemos esconder isso. Acho que devemos reconhecer isso e aprender as lições... O testamento é claramente para bolsas de estudo e é exactamente a isso que iremos dedicar esse dinheiro. Vamos dedicar e contribuir para combater as desigualdades", afirmou o vice-reitor.

Um dos amigos mais antigos de Nelson Mandela, o advogado George Bizos, ele também um dos executor do testamento, disse que o documento é reflexo de um homem extraordinário. E enquanto falava, limpou as lágrimas do rosto.

"Ele deu razões pelas quais queria dar a instituições de ensino porque ele queria que as pessoas, desfavorecidas durante toda a vida, sejam tratadas como seres humanos. Este foi o seu credo, isso é o que ele esperava de todos nós", concluiu Bizos.

Mandela, falecido a 5 de Dezembro, deixou trinta herdeiros, incluindo filhos, netos e bisnetos nascidos dos seus dois primeiros casamentos.

No seu testamento também incluiu os filhos de sua terceira esposa, Graça Machel.

O património de Nelson Mandela foi avaliado em 4,1 milhões de dólares

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG