Links de Acesso

Falta de médicos dificulta controlo da cólera em Nampula


O número de doentes internados no Centro de Tratamento de Doenças Diarreicas aumentou de 500 para 649.

A insuficiência do pessoal médico para responder sobretudo às doenças diarreicas que aumentam diariamente em Moçambique e em particular na província de Nampula exige uma aposta séria de formação de recursos humanos na área da saúde, segundo vários analistas.

Em Nampula, o número de doentes internados no Centro de Tratamento de Doenças Diarreicas aumentou de 500 para 649. Por isso não é de estranhar a visita que o vice-ministro da saúde Mousinho Saide realiza a Nampula.

O governante, acompanhado de uma brigada da organização municipal de saúde avaliou de perto a situação da eclosão das diarreias e da cólera.

Mousinho Saide afirmou que, apesar da província estar preparada em equipamentos e medicamentos, a situação é crítica. O governante disse também que se receia que a epidemia se alastre devido às deficiências higiénico-sanitárias e de abastecimento da água potável.

Desde que se começaram a registar casos de doenças diarreicas em Janeiro, verificaram-se três mortes, sendo uma dentro da própria unidade sanitária e duas na comunidade.

O vice-ministro Mousinho Saide apelou à população para que observe as medidas de higiéne necessárias por forma a evitar mais perdas de vidas humanas.

Importa referir que a população, incluindo os doentes internados na unidade hospitalar, continuam a esperar pela energia eléctrica. A falta de energia tem afectado toda a população, em geral, e as unidades de saúde em particular.

A reposição do abastecimento energético tinha sido prometida para ontem, esperando-se agora que o seja no final da semana.

Adina Sualehe

XS
SM
MD
LG