Links de Acesso

Etiópia: Ministro dos Negócios Estrangeiros acolhe críticas de Obama

  • Redacção VOA

Presidente Obama na Etiópia

Presidente Obama na Etiópia

“A Etiópia é uma democracia ainda em construção e precisa de continuar a aprender com os seus verdadeiros amigos como os Estados Unidos da América,” disse o Ministro Tedros Adhanom.

No final da visita à Etiópia, o Presidente Barack Obama discursou na União Africana. Elogiou as conquistas de África em áreas como a redução da pobreza e combate à Sida; encorajou o crescimento económico; e apontou lacunas na democracia e liberdade de expressão.

As críticas do Presidente haviam começado antes. No encontro com o Primeiro-ministro da Etiópia, Hailemariam Desalegn, Obama pediu ao governo para permitir que os jornalistas e oposição trabalhem com mais liberdade.

Na ocasião, Obama disse que a criação de espaço para os jornalistas e oposição iria fortalecer do que inibir o desempenho do partido no poder.

Na sede da União Africana, Obama disse que não compreendia o que levava os líderes africanos a não largar o poder findo os seus mandatos e depois de terem acumulado muito dinheiro. Criticou o cancro da corrupção, que bloqueia o crescimento do continente.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros da Etiópia, Tedros Adhanom, disse à VOA que o discurso de Obama foi inteligente e veio de um parceiro genuíno.

“A mensagem para o nosso continente foi muito importante. Evidentemente que alguns irão concordar e outros não, mas isso não importa. Ele expressou os seus sentimentos,” disse Adhanom.

O presidente Obama visitou a Etiópia no meio de críticas de organizações dos direitos humanos por este país não permitir a alternância na governação e por perseguir jornalistas. O parlamento deste país é na totalidade preenchido por elementos do partido no poder e a imprensa não é livre.

E tal como foi referido, Obama sugeriu mudanças.

“O presidente Obama fez o pedido de abertura política de uma forma humilde,” considerou Adhanom, para quem a “Etiópia é uma democracia ainda em construção e precisa de continuar a aprender com os seus verdadeiros amigos como os Estados Unidos da América.”

Segundo Adhanom, “a democracia é imprescindível”, na Etiópia. Com a sua diversidade, “o país precisa de ser democrático para garantir a sua sobrevivência (…) os pilares do país são o desenvolvimento e democracia.”

Na Etiópia, tal como muitos países da África Subasaariana, prevalece a mutilação genital feminina e são registados muitos casos de casamentos prematuros. Os dois são indicadores de desigualdades entre homens e mulheres, que resulta de ignorância, pobreza e preconceitos .

O presidente Obama na sua intervenção falou da importância de reverter esse cenário e do investimento na educação das meninas.

O Ministro Adhanom concorda: “É importante mudar a base. Desde a infância, as meninas e os rapazes deverão ter oportunidades iguais.”

XS
SM
MD
LG