Links de Acesso

Estudantes angolanos estão com medo após morte de compatriota no Brasil


Jocéu Wando Capilo

Jocéu Wando Capilo

Bárbara Ferreira Santos

Os estudantes angolanos do Instituto Nacional de Telecomunicações, o Inatel, ficaram abalados com a morte de um colega na sexta-feira passada em Santa Rita do Sapucaí, em Minas Gerais.

O angolano Jocéu Wando Capilo foi morto na frente de um bar quando tentava apartar uma briga entre três homens.

Um estudante angolano colega de Capilo, que não quis se identificar por medo dos criminosos, contou à Voz da América como ocorreu o crime. Segundo ele, Capilo viu um dos homens envolvidos na discussão sendo espancado pelos demais e tentou dialogar com os agressores para interromper a briga.

"Jocéu falou para um dos homens abaixar o tom de voz. O homem perguntou se Jocéu sabia quem ele era e fez ameaças. Ele levantou a arma, apontou para a cabeça do Jocéu e deu o primeiro disparo. Depois atirou outras vezes", disse o estudante.

O jovem também contou que toda a cidade de Santa Rita do Sapucaí ficou abalada, mas em especial a comunidade de angolanos que estuda no Inatel e que conhecia de perto Capilo.

"Nos primeiros dias, não conseguíamos sair de casa. Estamos todos abalados", afirmou.

Segundo o estudante, o autor dos disparos é conhecido na cidade por praticar atividades criminosas. A população de Santa Rita do Sapucaí tem divulgado nas redes sociais imagens de um suspeito e colaborado com a polícia para identificar o paradeiro dos criminosos. Até agora ninguém foi preso.

Após a morte de Capilo, um representante do Inatel foi a São Paulo para auxiliar o consulado de Angola e a família do jovem. A instituição divulgou uma nota de pesar em que afirmou que toda a comunidade acadêmica sente a dor da perda violenta de um de seus estudantes.

Uma irmã de Capilo chegou na segunda-feira a São Paulo para cuidar do transporte do corpo. A expectativa da família é que o traslado ocorra nesta quarta-feira.

XS
SM
MD
LG