Links de Acesso

Estados Unidos: Jornalista do Washington Post condenado a uma pena de prisão não especificada no Irão

  • Redacção VOA

Jason Rezaian

Jason Rezaian

O Irão anunciou ontem, 22, a condenação do jornalista Jason Rezaian, do Washington Post, a uma pena de prisão não especificada, por espionagem.

Gholam Hossein Mohseni Ejehi, porta-voz da justiça iraniana, anunciou a sentença na página web da televisão estatal, mas clarificou que não “estava finalizada” e não deu nenhuma indicação sobre a duração da mesma.

Leila Ahsan, advogada de Rezaian, disse não ter sido informada sobre a sentença.

O Departamento de Estado dos Estados Unidos apelou ao Irão para anular a sentença e libertar de imediato Jason para que possa retornar ao convívio familiar. Afirmou ainda que o Irão deverá libertar outros dois americanos nas suas mãos, Saeed Abedini e Amir Hekmati, e trabalhar com as autoridades americanas para localizar um quarto americano, Robert Levinson.

Douglas Jehl, editor da página internacional do Washington Post, disse que o jornal tinha conhecimento do anúncio feito pelo Irão, mas sem detalhes. Ele disse que Rezaian não fez nada de mal, o Irão não apresentou provas e o jornalista deverá ser libertado de imediato.

Rezaian, que chefiava a delegação do jornal em Teerão, foi detido em Julho de 2014, e condenado em meados de Outubro. A sua família e o Washington Post protestaram desde cedo a acusação e repetidas vezes pediram a sua libertação.

A imprensa estatal iraniana, citando as autoridades, reportou que Rezaian complilou informação sobre iranianos e estrangeiros que violaram as sanções económicas dos Estados Unidos e das Nações Unidas contra Teerão e passou para Washington. A TV estatal iraniana chamou repetidamente Rezaian de "espião americano".

Os serviços de inteligência da Guarda Revolucionária disseram num relatório deste mês que Rezaian, com nacionalidade iraniana e americana, é um agente dos Estados Unidos que tenta “derrubar” o governo islamita do Irão.

Rezaian foi detido e condenado numa altura em que os Estados Unidos e outras cinco potências negociavam com o Irão um acordo para que este país abandone os planos nucleares em troca do levantamento de sanções. Mas o destino de Rezaian e de outros americanos detidos no Irão não fez parte do acordo.

A esposa de Rezaian, Yeganeh Salehi, e dois fotógrafos detidos na mesma altura terão sido libertos.

XS
SM
MD
LG