Links de Acesso

Eleitores dizem estar cansados de ouvir promessas

  • Lassana Casamá

Eleições Guiné Bissau 2014 - cartaz JOMAV

Eleições Guiné Bissau 2014 - cartaz JOMAV

A cinco dias daquelas que são para observadores, políticos e cidadãos comuns as mais importantes eleições da história da Guiné-Bissau através das comissões regionais de eleições, alguns eleitores revelaram à Voz da América o que esperam dos candidatos.
Os guineenses ouvidos pela Voz de América querem que os candidatos presidenciais e legislativos priorizem e falassem mais sobre os sectores da educação, saúde e ainda o da economia.

Moctar Djalo disse estar cansado de ouvir tantas promessas dos políticos guineenses nos debates e nos comícios. Por sua vez, Fatumata Camara, uma jovem que expressa a esperança de ver o país melhorado, partilha o mesmo sentimento: "os sectores da educação e saúde devem ser priorizados pelos políticos envolvidos nestes debates eleitorais", acrescentando que dos políticos "quer ouvir a verdade".

Já para Edmilson Agostinho Cá, o sector educativo representa a "chave da evolução de qualquer sociedade", por isso, espera ouvir nos debates, que os candidatos o considerem como um dos temas prioritários.

Na noite desta terça-feira, 8, realizou-se o terceiro debate organizado pela ONG Acção Cidadã. Arregado Mantenque, do partido trabalhista, Helder Vaz, da Resistência da Guiné-Bissau-Movimento Bafatá, e o independente Jorge Malu estiveram frente-a-frente para discutirem as duas ideias.

Na corrida estão 13 candidatos presidenciais e 15 partidos políticos, que regressaram às ruas de Bissau e de todas as cidades, vilas e tabancas do país na caça dos votos dos cerca de 775 mil eleitores. No exterior, poderão votar os guineenses que se recensearam em Portugal, França, Espanha, Cabo Verde, Guiné-Conakry, Gâmbia e Senegal.
XS
SM
MD
LG