Links de Acesso

Promulgação dos resultados das eleições moçambicanas só em Janeiro

  • William Mapote

Assembleia de voto em Quelimane, que abriu às 7h00 da manhã. Província da Zambézia, Moçambique, 15 Out, 2014. Foto enviada por António Zefanias

Assembleia de voto em Quelimane, que abriu às 7h00 da manhã. Província da Zambézia, Moçambique, 15 Out, 2014. Foto enviada por António Zefanias

Os resultados oficiais deram vitória à Frelimo e ao seu candidato presidencial, Filipe Nyusi, mas a oposição continua a contestá-los, considerando terem sido fraudulentos.

Dois meses depois dos moçambicanos terem ido às urnas votar pelo novo presidente e parlamento nacional, a procissão para a validação dos resultados ainda vai no adro.

Os resultados oficiais deram vitória à Frelimo e ao seu candidato presidencial, Filipe Nyusi, mas a oposição continua a contestá-los, considerando terem sido fraudulentos.

Os recursos da oposição, nomeadamente a Renamo e o MDM, deram entrada no Conselho Constitucional(CC), o mais alto órgão de recurso para assuntos eleitorais e da Constituição.

Uma fonte do CC disse em contacto telefónico com a VOA m Maputo, que já não tem recursos em mãos, uma vez que o último foi respondido no dia 4 de Dezembro. Dos três que foram chamados a deliberar, todos foram chumbados.

Deste modo, os conselheiros têm agora 45 dias, a contar da data do último recurso respondido, para anunciar os resultados, o que pode arrastar a promulgação dos resultados para finais de Janeiro de 2015.

Segundo o calendário eleitoral, os deputados da Assembleia da República tomam posse até 15 dias depois da divulgação dos resultados pelo CC e o Presidente da República é empossado num período de até oito dias depois da investidura do parlamento.

XS
SM
MD
LG