Links de Acesso

Ébola: Estados Unidos e União Europeia redobram esforços para conter epidemia

  • Redacção VOA

Segundo as últimas estatísticas da OMS a epidemia de Ébola já causou cerca de 9 mil casos matando 4 mil e 500 pessoas.

A Organização Mundial de Saúde anunciou que vai enviar equipas ao Mali e à Costa do Marfim para avaliar as medidas preventivas contra o Ébola que aqueles países tomaram nas suas fronteiras comuns com a Guiné-Conacri, Libéria e Serra leoa.

Segundo a OMS a chave para conter o alastramento da epidemia de Ébola reside no controlo do seu alastramento para além das fronteiras daqueles 3 países da África Ocidental, os mais atingidos pelo surto.

Entretanto os ministros da saúde dos países da União Europeia estão reunidos em Bruxelas para conversações acerca dos modos de detectar casos de Ébola nas suas fronteiras e aeroportos.

Na semana passada novas medidas de controlo foram postas em prática em 5 aeroportos americanos nos quais desembarcam a maior parte dos passageiros provenientes da África Ocidental.

Aqui nos Estados Unidos os líderes do Congresso presidem hoje a audiências com os principais peritos sanitários americanos para debater a detecção do Ébola e a eficácia das medidas de controlo tomadas em território americano.

Entretanto o presidente americano, Barack Obama, afirmou que o risco de um surto alargado de Ébola nos Estados Unidos é muitíssimo pequeno se forem tomadas as precauções adequadas.

Falando durante uma reunião do seu gabinete especialmente dedicada á questão do Ébola, o presidnete Obama ordenou o envio imediato de uma equipa médica federal de emergência para o hospital do Texas onde foi diagnosticado um caso de Ébola para garantir que estão a ser tomadas todas as precauções: “ Vamos fazer de modo a que algo como isto não se repita e vamos garantir que estamos a supervisionar de uma maneira muito mais agressiva o que aconteceu em Dallas vamos tirar ilações e transmiti-las aos hospitais e clinicas através do país.”

O presidente Obama cancelou ontem deslocações anteriormente planeadas para participar na reunião de emergência do seu gabinete, depois das notícias de que uma segunda enfermeira infectada com o vírus Ébola viajou e avião nos Estados Unidos um dia antes de apresentar sintomas da doença.

A enfermeira, Amber Vinson, viajou com efeito na segunda feira de Cleveland no estado de Ohio para o aeroporto de Dallas Fort Worth.

Ontem Vinson foi transportada de Dallas para um hospital de Atlanta na Geórgia onde foram tratados com sucesso dois pacientes que contraíram Ébola na África ocidental.

Vinson e outra enfermeira, Nina Pham, contraíram o vírus no hospital de Dallas onde esteve internada a primeira pessoa com Ébola nos Estados Unidos,o liberiano Thomas Duncan que entretanto faleceu.

Segundo as últimas estatísticas da OMS a epidemia de Ébola já causou cerca de 9 mil casos matando 4 mil e 500 pessoas.

XS
SM
MD
LG