Links de Acesso

Dois acusados pelas mortes de Cassule e Kamulingue serão julgados em três meses

  • Redacção VOA

Dois outros suspeitos foram libertados, diz juiz.

O Tribunal provincial de Luanda reduziu para dois o número de acusados no desaparecimento dos activistas Alves Kamulingue e Isaías Cassule e anunciou o seu julgamento para dentro de dois a três meses.

Em declarações à rádio estatal angolana, a RNA, o juiz-presidente em exercício do Tribunal Provincial de Luanda Milekamene António João disse que o processo corre os seus trâmites e que os outros dois acusados apresentados inicialmente pela PRG foram soltos, sem precisar os seus nomes.

O juiz-presidente afirmou ainda que os detidos confessaram o crime e serão acusados formalmente nos próximos tempos.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) identificado os cidadãos Júnior Maurício, Francisco Pimentel Daniel, Augusto Mota e João Fragoso, todos eles membros da Polícia Nacional e do Serviço de Inteligência e Segurança de Estado como sendo os principais suspeitos do assassinato dos ativistas Alves Camulingue e Isaías Cassule.

Refira-se que a PGR prometeu na passada segunda-feira, 24, atribuir casas aos familiares dos dois activistas mortos por elementos da Segurança do Estado numa altura em que estes exigem as ossadas dos mortos para realizarem os devidos funerais
XS
SM
MD
LG