Links de Acesso

Dirigente da JURA acusado de receber dinheiro de Bento Kangamba

  • Coque Mukuta

Mfuka Muzemba

Mfuka Muzemba

Mfuka Muzemba não está a exercer as suas funções mas não está suspenso, diz UNITA

A UNITA desmentiu que o secretário geral da sua ala da juventude JURA, Mfuka Muzemba tenha sido suspenso mas ao mesmo tempo que este foi “substituído” enquanto decorrem investigações às suas actividades.




De entre as alegações a serem investigadas consta a acusação de que Mfuka teria recebido dinheiro do general Bento Kangamba envolvido num escândalo de milhões de Euros na Europa.

A noticia da suspensão de Muzemba é baseada num documento interno da UNITA mas o Secretário geral da UNITA Victorino Nhany disse tratar-se apenas de uma directiva para indicar a Secretário-Geral adjunta da JURA, Navita Ngolo, a substituir Mfuka Muzemba enquanto decorre o processo disciplinar contra o actual secretário-geral da Juventude do galo Negro.

Nhany, que tinha recentemente negado à Voz da América a existência de qualquer processo disciplinar contra Mfuka Muzemba, actual Secretário-Geral da JURA, agora admite estar em curso um processo para averiguar a possível ligação de Muzemba com elementos ligados ao MPLA.

Nhany disse que circular afirma que todas as questões envolvendo a JURA devem ser feitas com a secretária geral adjunta enquanto decorrem as investigações.

Nhany disse não se tratar de uma suspensão acrescentando ainda não haver qualquer nome específico para o acto administrativo praticado.

Mfuka Muzemba é acusado de ter solicitado vistos para cidadãos congoleses em nome da estrutura partidária e de ter recebido do general empresário Bento Kangamba somas avultadas em dinheiro para não se relacionar com os jovens que têm organizado manifestações anti-governamentais na capital.

Muzemba terá alegadamente recebido cinco casas no projecto Kilamba da mão do Ministro da Juventude e Desporto.

A Voz da América tentou o contacto com o Político do Galo Negro o mesmo mostrou-se indisponível para qualquer esclarecimento.

Victorino Nhany disse ainda que o estatuto é claro para qualquer infracção que venha a se apurar por parte do Jovem Mfuka Muzemba.

“O estatuto é claro sobre isso. Existe para além da advertência a suspensão e na pior das hipóteses expulsão,” disse

“Enquanto não se concluir o inquérito nenhuma decisão deve-se tomar,” frisou.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG