Links de Acesso

Dinheiro americano ajuda a recuperar café do Kwanza Sul


Grãos de café antes de serem torrados

Grãos de café antes de serem torrados

Cinco milhões de dólares foi quanto a Usaid e o BDA se dispuseram para o alavancar do sector do café.

A revitalização do sector cafeícola na província do Kwanza-Sul há muito clama pela injecção de dinheiro por forma a responder a procura do produto e regressar aos tempos áureos.

Desta feita a inquietação dos cafeicultores sobretudo os da comuna do Assango, município do Amboim foi prontamente respondida pela Usaid que conjuntamente com o Banco de Desenvolvimento de Angola financiaram o projecto.

Cinco milhões de dólares foi quanto a Usaid e o BDA se dispuseram para o alavancar do sector do café e a directora da Usaid em Angola Theresa Mack afirmou sentir-se bastante regozijada:

O Programa facilitou o acesso ao crédito de cerca de cinco milhões de dólares através do Fundo Soba, Programa de garantia da Usaid e o Banco de Desenvolvimento de Angola. Acredito que com o trabalho feito pela Usaid e Proagro, mais pessoas conseguirão crédito utilizando os instrumentos financeiros disponibilizados pelo governo de Angola e da Usaid. A intervenção da facilitação do mercado de insumos e colheitas estava no centro das atenções da Proagro e alegra-me saber agora que voçês estão a conseguir os insumos pretendidos e venderem as vossas colheitas facilmente e com bom preço. Podem estar certos de que este esforço não se apagará»».

A satisfação de Theresa Mack estende-se de igual modo pelo facto das comunidades doravante contar com dose centros de agro-negócios e com absorção e envolvimento de seis mil pessoas na pprodução do bago vermelho:

Financiou-se a construção e reabilitação de dose centros de agro-negócios. Hoje estamos muito satisfeitos com os resultados obtidos, portanto com a nossa adesão em investir neste programa. Sabemos que este programa alcançou os seguintes resultados:

Conseguíu envolver cerca de seis mil pessoas na produção, introduzindo técnicas modernas de produção e aumentando desta forma o rendimento por hectare da cultura promovida. Estou muito contente em ver o envolvimento dos membros da cooperativa Assango que adaptaram-se as novas técnicas e com isso aumentar a produtividade do café»».

Palavras da directora da Usaid em Angola Theresa Mack mostrando-se satisfeita com o empenho e níveis de produção aceitáveis que os cafeicultores da região do Assango no Amboim estão a proporcionar para combater a fome e a pobreza no seio das populações residentes.
XS
SM
MD
LG