Links de Acesso

Dilma Rousseff: Visita relâmpago a Luanda

  • Alexandre Neto

Dilma Rousseff: Visita relâmpago a Luanda

Dilma Rousseff: Visita relâmpago a Luanda

“O Brasil pode contar com o apoio de Angola na luta pela entrada como membro permanente do Conselho de Segurança” , disse .Eduardo dos Santos

Dilma Rousseff terminou uma visita-relâmpago a Angola. A chefe de Estado brasileira foi recebida na manhã de hoje por Eduardo dos Santos, no Palácio Presidencial.

Os dois presidentes reuniram-se à porta fechada pouco depois para falar de questões que têm haver com a cooperação entre paises, enquanto delegações ministeriais mantinham conversações sobre assuntos que requerem soluções que se julgam mais imediatas, sobretudo no domínio da Justiça Penal e Reinserção Social.

O governo brasileiro tem-se mostrado receptivo às propostas que apontam para o repatriamento de angolanos eventualmente detidos no país sul-americano, para que cumpram as suas penas em Angola. Este terá sido um dos pontos que mais atenção mereceu.

O Brasil, por seu lado, muito desejava que fosse encontrada uma saída para a tão desejada supressão de vistos de entrada em Angola, com demoras de que há reclamações e consequente implicação nos negócios empresariais. Sobre este assunto e na mais recente comunicação feita pelo ministro Jorge Chicoty das Relações Exteriores, a solução do problema não seria encontrada para já.

Não há informações de que um Acordo em concreto tenha sido rubricado.

Como reconheceu Eduardo dos Santos, o nível de cooperação entre os dois países podia ser alargado. A materialização dos objectivos do Milénio com grande demanda na construção de diversas infra-estruturas escolares e sanitárias é segundo Dos Santos, uma oportunidade para que a cooperação saia reforçada.

No plano internacional, o presidente angolano augura uma maior concertação sobre os diversos temas de actualidade. “O Brasil pode contar com o apoio de Angola na luta pela entrada como membro permanente do Conselho de Segurança” .Eduardo dos Santos que falava do Palácio Presidencial, no decurso do almoço oferecido à homóloga brasileira.

Por seu lado Dilma Rousseff manifestou-se regozijada com o que qualificou de exemplo de sucesso dum país pós conflito. Angola é, com efeito, um modelo neste imenso continente, enfatizou.

A presidente brasileira tinha estado no parlamento onde discursou na sessão que lhe foi especialmente dedicada: “ O Brasil privilegia a cooperação entre os dois países respeitando a ordem social e sobretudo, através das empresas presentes, apostando na mão-de-obra local.

Com um volume de negócios que pode atingir este ano mais de quatro biliões de dólares americanos, segundo o embaixador Afonso Cardoso, citado pela imprensa oficial, o Brasil é o segundo parceiro comercial de Angola depois da China. Tem destacada presença nos domínios da energia, construção civil, exploração mineira e mais recentemente no biodiesel, este último através de projectos que tem implementado na região central de Malanje.

XS
SM
MD
LG