Links de Acesso

Dezenas de casas demolidas pelas autoridades em Malanje

  • Isaías Soares

Adminsitrador diz que residências eram ameaça ao fornecimento de água a Malanje

Mais de uma dezena de famílias viram Sexta-feira, 9 de Janeiro, as suas residências demolidas no bairro da Quizanga, regedoria Calandula, a quatro quilómetros a norte da cidade de Malanje.

As demolições foram ordenadas pela Administração Municipal de Malanje afirmando que o local onde as casas se encontravam eram uma ameaça ao abastecimento de água à cidade de Malanje.

Os desalojados que habitam nas imediações do Rio Guiné desde 2012 disseram que as demolições foram efectuadas sem qualquer aviso.

residente de bairro demolido João Morine

residente de bairro demolido João Morine

João Manuel Francisco Morine um dos moradores que viu a sua residência destruída foi obrigado a arrendar uma residência para evitar que os três filhos fiquem ao relento.

“Pedimos às entidades superiores de direito que resolvam esse problema porque nós estamos numa aflição que não vale a pena”, lamentou acrescentando que cerca de 48 crianças estão sem casa apelando “à Administração para ver se nos concedem a legalização dos terrenos”.

João Morine disse que as destruições das residências ocorreram sem qualquer comprovativo por parte dos “fiscais”,

“Apenas se fazem acompanhar da Polícia”, disse afirmando não saber “se o senhor governador tem conhecimento da demolição das casas”.

Aadministrador municipal de Malanje Osvaldo Naval dos Santos

Aadministrador municipal de Malanje Osvaldo Naval dos Santos

O administrador municipal de Malanje, Osvaldo Naval dos Santos confirmou as operações e justificou que a “equipa de fiscalização procedeu à demolição de 12 residências, devido ao facto de estarem a serem executadas estas mesmas obras junto à zona que recolhe água para [nossa] área de tratamento e distribuição para cidade de Malanje”.

Osvaldo Naval dos Santos, que anunciou novas demolições nos próximos dias depois de uma reunião interna ao nível da Administração Municipal, não clarificou se o bairro será ou não evacuado.

“Só depois do balanço iremos fazer que iremos fazer durante o dia de hoje é que saberemos se posteriormente será feito alguma outra intervenção neste bairro”, garantiu o administrador.

Na semana passada, a Administração Municipal de Malanje num comunicado tornado público pela emissora estatal local convidou os munícipes da referida circunscrição a procederem as demolições das suas residências num prazo de 48 horas, caso contrário seriam destruídas pela Administração.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG