Links de Acesso

Coreia do Norte: Tio do líder Kim Jong foi comido vivo por cães


De acordo com o jornal de Hong Kong Wen Wei Po, afiliado ao Partido Comunista, Chang Song-thaek e cinco assessores mais próximos foram despidos, atirados para uma jaula e atacados por 120 cães de caça que não comiam há cinco dias.

Apesar da informação ainda não ter sido confirmada, os principais meios de comunicação internacionais divulgaram hoje que Chang Song-thaek não foi executado, como havia sido noticiado em Dezembro, mas sim atirado aos cães.

Chang foi executado no dia 12 dezembro de 2013, em circunstâncias não divulgadas, após um rápido processo de demissão e julgamento por um tribunal militar da Coreia do Norte.

Ainda de acordo com o jornal, Kim e seu irmão, Kim Jong-chol, supervisionaram a execução, que durou cerca de uma hora, juntamente a 300 outros funcionários. O Wen Wei Po acrescentou que Chang e os assessores foram "completamente devorados".

Segundo a NBC News, a publicação de Hong Kong, que denunciou a execução, tem actuado como um porta-voz do Partido Comunista da China. A divulgação pode ser um sinal da luta entre aqueles que querem permanecer engajados com a Coreia do Norte e os que querem distanciar-se do actual líder norte-coreano.

Chang era visto como uma das principais lideranças do país. Por conta do seu parentesco e intimidade com o falecido líder Kim Jong-il, pai de Kim Jong-un, muitos acreditavam que ele exercia grande influência sobre Jong-un.

O tribunal norte-coreano disse que Chang era "pior do que um cão" e que havia formado uma facção com o objectivo de derrubar o governo.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG