Links de Acesso

Bubo Na Tchuto a caminho de Bissau

  • Redacção VOA

Bubo Na Tchuto

Bubo Na Tchuto

Antigo chefe da Armada da Guiné-Bissau foi libertado pelas autoridades americanas e está em Marrocos.

O contra-almirante guineense José Américo Bubu Na Tchutu foi libertado pelas autoridades dos Estados Unidos, onde estava preso desde Abril de 2014, e encontra-se em Marrocos a caminho de Bissau.

Fontes diplomáticas disseram à VOA que Bubo Na Tchuto aguarda apenas pela cobertura da representação de Bissau em Rabat para regressar ao país.

Uma fonte familiar contactado pela VOA não confirma, nem desmente a noticia, que já circula também nas ruas de Bissau.

Sentenciado no passado dia 4 de Outubro a uma pena prisão de quatro anos, por tentativa de trafico de droga para os Estados Unidos, Na Tchuto cumpriu três anos e sete meses da sua pena.

A decisão de um juiz de Nova Iorque determinou a deportação do antigo homem forte da armada guineense logo que fosse colocado em liberdade, o que, a acreditar nas nossas fontes, já aconteceu.

Bubo Na Tchuto foi preso a 4 de Abril de 2013 nas águas internacionais perto da Guiné-Bissau juntamente com mais três cúmplices.

Antes da sentença de Bubo Na Tchutu, dois antigos colaboradores seus declararam-se culpados de conspiração para traficar droga para os Estados Unidos.

Tchamy Yala e Papis Djeme, detidos na mesma operação secreta da Agência Anti-Droga dos Estados Unidos (DEA) em águas internacionais próximas da Guiné-Bissau, tinham sido condenados a cinco anos e seis anos e meio de prisão, respectivamente.

Um terceiro colaborador, condenado a cerca de três anos, foi libertado e deportado para Portugal, de onde também é cidadão.

O antigo Chefe de Estado-maior da armada guineense foi considerado culpado de tráfico de droga, para o qual, recebia um milhão de dólares por cada operação, segundo a acusação.

O represso de Bubo Na Tchuto pode estar por horas e já provoca muitas perguntas no momento em que o pais enfrenta uma nova crise política.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG