Links de Acesso

Conselho de Paz e Segurança da União Africana pede que FA fiquem de fora do conflito na Guiné-Bissau

  • Redacção VOA

Arquivo

Arquivo

Órgão exorta presidente da Comissão da UA a manter contactos para uma solução rápida da crise.

O Conselho de Paz e Segurança da União Africana (UA) pediu nesta quarta-feira, 26, o respeito pela Constituição e a neutralidade das Forças Armadas da Guiné-Bissau na crise actual.

Num comunicado, aquele órgão reiterou a “absoluta necessidade das Forças Armadas e de segurança se posicionarem do lado de fora desta crise actual”.

“O Conselho sublinhou mais uma vez que esta situação poderia colocar em causa os avanços registados com a conclusão da transição e a realização das bem-sucedidas eleições legislativas e presidenciais em Abril e Maio de 2014”, lê-se no comunicado, segundo o qual esta crise política pode “dificultar a mobilização da assistência internacional que a Guiné-Bissau precisa para a sua recuperação sócio-económica”

O Conselho de Paz e Segurança da União Africana exortou o presidente da Comissão da UA a realizar consultas junto da Cedeao e dos países vizinhos da Guiné-Bissau, da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), da União Europeia e das Nações Unidas para que sejam tomadas “iniciativas e medidas” para uma solução pacífica da crise na Guiné-Bissau.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG