Links de Acesso

Confrontos entre militantes da UNITA e elementos das FAA

  • Coque Mukuta

Militantes da UNITA

Militantes da UNITA

Um militantes da UNITA ferido a tiro

Um militante da UNITA foi ferido a tiro numa “emboscada” de elementos das forças armadas no Cubal, disse uma dirigente local deste partido.




“Houve um combate sério de pedras, catanas, paus,” disse Secretaria Municipal da UNITA, no Cubal Luciana Rafael.

Rafael disse que registou-se no sábado último um ataque contra a sua caravana perpetrado pelas Forças Armadas Angolanas na comuna de Kapupa, onde haviam realizado antes um acto político do seu partido.

“Nós realizamos actividade política numa povoação na comuna da Kapupa. A actividade correu da melhor forma e de regresso é que tivemos grandes problemas. Caímos na primeira emboscada, os nossos jovens conseguiram reagir. Eles (MPLA) haviam capturado as nossas duas motorizadas e naquela força da nossa juventude conseguimos,” disse.

Luciana Rafael afirmou já ser do domínio da Polícia Nacional e que as forças armadas angolanas continua a perseguir os militantes do seu partido naquele município.

A Voz da América tentou o contacto com o Porta-voz da Policia Nacional, Aristófenes dos Santos mas não tivemos sucesso.

A dirigente política da UNITA disse terem até ao momento uma vítima que foi ferida por um tiro dado pelos elementos das forças armadas angolanas.

“Tivemos que nos reorganizar e avançar. Os jovens passaram em frente em minha defesa e a escasso metros da povoação da Kaviva, caímos numa segunda emboscada, era já tarde, estava a escurecer,” afirmou esclarecendo ainda que no local “houve um combate sério de pedras, catanas, paus, mesmo assim, tentamos fazer tudo eles dispersaram-se e nós tivemos que sensibilizar os jovens para prosseguir viagem”.

“ Depois de alguns quilómetros encontramos a terceira emboscada, outra surra e naquela altura pensamos que devíamos utilizar a rota de Caimbambo,” frisou.

Na manhã de domingo, segundo Luciana Rafael, “o administrador ligou para mim que devíamos criar uma comissão para o terreno e eu dizia que não estava em condições, pois que dada a situação eu devia informar a minha direcção e esperar orientações” concluiu.

Luciana Rfael disse á Voz da America que elementos das FAA foram ao hospital para onde foi levado o militante da UNITA ferido onde o ameaçaram.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG