Links de Acesso

Comunidades ovimbundos dizem-se vítimas de perseguição tribal no Namibe


Angola Parque do Iona Namibe, foto do blog photoscopes.blogspot.com

Angola Parque do Iona Namibe, foto do blog photoscopes.blogspot.com

As vítimas dizem ainda que se as autoridades de direito não tomarem medidas que visem estancar tal comportamento a situação poderá ganhar contornos alarmantes.

O surgimento de homens vindos do planalto central e de outras localidades de Angola com vocação de agricultores está a provocar ciúmes no seio das comunidades mucubais devido à sua capacidade empreendedora na actividade do campo.

Segundo as supostas vítimas, presume-se que a cabala de perseguição aos camponeses da tribo ovimbundos com realce para os camponeses dos vales dos rios intermitentes do município da Bibala tenha uma mão invisível das autoridades locais do Estado.

As vítimas dizem ainda que se as autoridades de direito não tomarem medidas que visem estancar tal comportamento a situação poderá ganhar contornos alarmantes.

A Comuna do Munhino, município da Bibala, é uma das localidades mais propensas para actos de tribalismo direccionados aos ovimbundos e seus descendentes.

As perseguições começam desde agressões físicas, ameaças de morte com catanas e purinhos e pilhagem das culturas, onde na calada da noite anciãos mucubais aliados aos jovens da defesa civil local introduzem manadas de gado nas lavras das comunidades dos ovimbundos em jeito de provocação, sob o olhar sínico e surdo de quem de direito.

Alguns membros destas comunidades visadas, cansadas de tormentos, decidiram apresentar queixas a procuradoria da Republica no Município da Bibala mediante provas das vicissitudes sofridas das mãos dos autóctones Mucubais .

O Juiz Municipal da Bibala Ernesto Silvério e o Procurador Municipal Mário Lumbundo, visando desencorajar tais práticas, decidiram que parte da sessão deste julgamento também tivesse lugar na Comuna do Munhino, na passada semana , ante a presença dos sobas, líderes comunitários e comunidades locais, onde os conflitos tribais ganham contornos alarmantes, segundo disse o magistrado do Ministério público, no final da sessão de audiência

Para o magistrado do ministério Público, o país é mais do que a Comuna do Munhino e as jornadas de sensibilização e educação jurídica às comunidades vão continuar no sentido de se prevenir conflitos tribais e não só no sei das comunidades.

A sentença sobre o caso vai ser proferida no próximo dia 18 do mês em curso, já na sala de audiências do tribunal Municipal da Bibala.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG