Links de Acesso

Como foi avaliado o Fundo Soberano de Angola

  • Redacção VOA

Instituto de Fundos Soberanos estuda, entre outros, fundos de pensões de reformas e reservas de bancos centrais

O Instituto de Fundos Soberanos (SWFI) avaliou positivamente a administração do Fundo Soberano de Angola, facto que foi duramente criticado pela oposição.

O SWFI, como sede nos Estados Unidos, é uma companhia global que analisa para investidores o desempenho de organizações que administram bens públicos.

Para além de fundos de investimento, a companhia estuda fundos de pensões de reformas e reservas de bancos centrais, entre outros.

O instituto, na generalidade, só aceita contratos com companhias e não com indivíduos.

A companhia foi fundada em 2007 por Michael Maduell e Carl Linaburg que estabeleceram em 2008 um índice de transparência baseado em 10 princípios de transparência, tendo cada um deles um ponto ao nível da transparência.

O índice é usado pela companhia em relatórios usados por investidores através do mundo.

O Fundo Soberano de Angola recebeu na última avaliação um índice de oito pontos, colocando esse fundo na companhia de fundos da China, Timor Leste, Hong Kong e Trinidad e Tobago.

O SWFI diz que o seu índice obedece aos seguintes 10 princípios:

- O Fundo fornece a sua história, incluindo razões para a sua criação, origens dos fundos e a estrutura governamental de controlo do fundo.

- O Fundo fornece relatórios anuais que foram sujeitos a auditorias independentes.

- O Fundo fornece a percentagem de controlo em companhias e os locais geográficos onde possui investimentos.

- O Fundo fornece o valor de mercado de todo o seu investimento, os rendimentos e a compensação dada aos administradores.

- O Fundo fornece parâmetros de padrões éticos, política de investimento e como faz aplicar esses parâmetros

- O Fundo fornece estratégicas claras e objectivas.

- Se aplicável o Fundo identifica claramente subsidiárias e informação sobre contactos.

- Se aplicável o fundo fornece administradores externos.

- O Fundo administra o seu próprio site na internet.

- O Fundo fornece a sua principal morada, informação para contacto como telefone e fax

O ano passado o valor total de negócios directos envolvendo fundos soberanos e todo o mundo atingiu os 50.000 mil milhões de dólares.

Em Angola, o porta-voz da Unita Alcides Sakala reagiu dizendo que os níveis de corrupção e de má gestão reinante nas instituições públicas de Angola nunca podiam levar a tal distinção.

Sakala põe em dúvida a idoneidade do estudo feito e admite tratar-se de uma tentativa do Governo de branquear a sua imagem envolvendo algumas organizações não-governamentais estrangeiras.

Por seu lado, o deputado da Casa-CE, Manuel Fernandes também põe em dúvida a idoneidade da organização responsável pela avaliação.

Fernandes diz não fazer sentido que uma entidade externa chegue a tal conclusão se ele, como deputado, não sabe como é que o Fundo Soberano angolano é gerido, uma vez não é permitido aos parlamentares fiscalizar o desempenho do Governo.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG