Links de Acesso

Moçambique poderá de receber ajuda para sector mineiro


Os ministros dos Negócios Estrangeiros da Comunidade Britânica reunidos em Perth

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da Comunidade Britânica reunidos em Perth

A Commonwealth anunciou a criação de um fundo de 120 milhões de dólares para estimular o sector mineiro nos países menos desenvolvidos da comunidade

Dezasseis chefes de Estado e de Governo, incluindo o presidente Armando Guebuza, de Moçambique, e mais de mil e duzentos delegados representando 54 países da Comunidade Britânica participam, a partir de amanhã, na cimeira que arranca na cidade australiana de Perth.

A cimeira, que tem uma agenda considerada muito complexa, vai decorrer até domingo sob o lema “Construindo a Recuperação Nacional, Construindo Recuperação Global”.

Há muitos assuntos considerados polémicos, com destaque para a questão dos Direitos Humanos e Democracia.

Para alguns países africanos, a Commonwealth deve privilegiar a diplomacia preventiva, para evitar o que aconteceu na Líbia, com a invasão do Ocidente, sob pretexto de proteger a população dos ataques do seu próprio Governo. Embora não seja membro da Commonwealth, a Líbia é tema de debate nos corredores da Cimeira de Perth.

Entretanto, a economia dominou as reuniões preliminares, com o Fórum de Negócios da Commonwealth a colocar políticos, empresários, académicos, e sociedade civil na mesma sala para debater parcerias na comunidade das antigas colónias inglesas, com excepção de Moçambique e do Ruanda. A Commonwealth tem um terço da população mundial estimada em sete mil milhões de habitantes.

O presidente Armando Guebuza revelou que 26 países da Comunidade Britânica investiram mais de um bilião e 200 milhões de dólares norte-americanos nos últimos cinco anos em Moçambique.

Para o Chefe do Estado, este investimento directo é indicação de que os membros da Commonwealth podem gerar parcerias dentro da comunidade que permitam crescimento e desenvolvimento económico equilibrado, equitativo e sustentável.

Armando Guebuza renovou o convite para empresários da Commonwealth investirem em Moçambique, porque na sua opinião ainda há muitos recursos não explorados. Guebuza participou num painel sobre Recursos Naturais e orientou mesa redonda sobre Indústria Mineira entre Moçambique e Austrália.

Depois dos encontros, o Director-Geral do CPI, Centro de Promoção de Investimentos, anunciou que cinco empresas manifestaram interesse em investir em Moçambique no sector mineiro e que a multinacional Rio Tinto disse que 28 mil moçambicanos estão registados na província de Tete para oportunidades de emprego.

Os membros da Commonwealth anunciaram a criação de um fundo de 120 milhões de dólares para estimular o sector mineiro nos países menos desenvolvidos da comunidade. Moçambique está qualificado para receber o dinheiro.

XS
SM
MD
LG