Links de Acesso

Começa enterro de vítimas de acidente de helicóptero em Cabinda

  • Manuel José

Dois corpos ainda por recuperar apesar de intensas buscas da Chevron.

Centenas de pessoas acompanharam nesta quinta-feira, 29, o enterro da primeira vítima da queda de um helicóptero ao serviço da petrolífera americana Chevron no mar de Cabinda.

Os restos mortais de Gerson Kiano, de 25 anos de idade, foram a enterrar no cemitério municipal ante a indignação da população pelo secretismo que se assiste na revelação e divulgação dos resultados preliminares das equipas de busca e salvamento sobre as causas da queda do aparelho.

Os familiares disseram que não querem falar por enquanto dos culpados e da causa pela queda do aparelho.

No cemitério era visível a tristeza de familiares e amigos com muitos a chorarem abertamente

As autoridades angolanas ainda não fizeram nenhum pronunciamento sobre o acidente.

O vice-governador de Cabinda para o sector social, Victor de Espirito Santo, que também esteve presente na cerimónia fúnebre, limitou-se a endereçar condolências à família do malogrado.

Enquanto isso, continuam as buscas para a localização dos dois corpos das seis vítimas mortais que seguiam a bordo do helicóptero ao serviço da Chevron e que se despenhou na segunda-feira,26, nas águas profundas de Cabinda.

Os corpos do piloto do aparelho, que entretanto se sabe é de nacionalidade sul-africana, e de um angolan, continuam desaparecidos.

A Chevron destacou para a zona da queda do aparelho, uma equipa de salvamento e buscas apoiada por 19 embarcações e três helicópteros que continuam a sobrevoar a zona da queda do aparelho.

Fontes do processo disseram à VOA que são remotas as possibilidades de se encontrar os dois cidadãos com vida.

A razão da queda do helicóptero ainda não foi apurada.

Depois da tragédia, a Chevron, operadora do campo petrolífero de Cabinda para quem o aparelho operava, tem revelado secretismo na divulgação da informação preliminar sobre as causas da queda do aparelho.

Tentamos sem sucessos obter acesso ao local do acidente e a informação precisa sobre as operações de busca e resgate.

O helicóptero ao serviço da Chevron, subsidiária da Cabinda Gulf Oil Company, despenhou-se na segunda-feira, minutos depois de ter partido da base das operações de Malongo, do enclave com destino as instalações da plataforma Tómbua-Landana.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG