Links de Acesso

Hillary Clinton Faz Balanço da Política Externa

  • Paulo Faria

Hillary Clinton Faz Balanço da Política Externa

Hillary Clinton Faz Balanço da Política Externa

"A liderança global dos Estados Unidos mantém-se essencial "

A Secretária de Estado Hillary Clinton afirmou que a estratégia de política externa da administração Obama de reconstruir alianças e aplicar o chamado poder suave está a começar a gerar dividendos. Mas Clinton advertiu de que a elevada dívida do governo está a começar a corroer o poder dos Estados Unidos no estrangeiro.

O discurso de Hillary Clinton, perante o Conselho de Relações Externas, em Washington, foi um balanço dos progressos da política externa no primeiro ano e meio da administração Obama.

Disse que a politica da administração Obama de reconstruir alianças tradicionais e de actuação multilateral, ao contrário da confiança da administração Bush no poder militar esta a começar a mostrar dividendos.

Clinton declarou que a liderança global dos Estados Unidos mantém-se essencial e que os Estados Unidos “podem, devem e querem” liderar no novo século, mesmo que isso tenha de ser feito de novas formas.

Mas numa sessão de perguntas e respostas, Clinton reconheceu também que a segurança nacional e a influência global dos Estados Unidos estão a ser ameaçados por uma pesada divida que responsabilizou aos cortes de impostos não consolidados e as guerras no Iraque e Afeganistão suportados por dinheiros emprestados.

Disse Clinton: “Isso mina a nossa capacidade de actuar em nosso próprio interesse e obriga-nos a constranger onde pode ser indesejável. E envia também uma mensagem de fraqueza internacionalmente. E muito preocupante para mim que estejamos a perder a capacidade não só de traçar o nosso próprio destino, mas também o nível que vem deste motor económico enormemente efectivo que tem alimentado os valores e interesses americanos durante muitos anos.”

Hillary Clinton citou entre os vários sucessos da política da administração Obama o recomeço das conversações de paz directas israelo-palestinianas, que atribuiu em parte a construcao de efectivas forcas de segurança da Autoridade Palestiniana sob a égide dos Estados Unidos.

Disse também que a liderança americana produziu as mais duras e globais sanções contra o Irão a propósito do seu programa nuclear. Disse também que Irão esta a começar a sentir o impacto económico e esta esperançosa de que irão produzir uma solução negociada.

A Secretária Clinton fez também comentários sobre a controvérsia ao redor da intenção anunciada por um pastor de uma minúscula igreja protestante evangélica na Florida de queimar alguns exemplares do livro sagrado dos muçulmanos, o Alcorão, para assinalar o aniversário dos ataques terroristas de 11 de Setembro de 2001.

Clinton afirmou que na nova era dos mídia, alguém com um blogue ou um I-Phone pode dizer algo ultrajante que recebe logo as atenções do mundo. Disse que os americanos querem ser julgados por aquilo que são como uma nação e não por uma aberração como furor do Alcorão.

XS
SM
MD
LG