Links de Acesso

Cidades tentam "casar" turismo e património

  • Alvaro Ludgero Andrade

Cidade da Ribeira Grande, Cidade Velha, Património da Humanidade, Cabo Verde

Cidade da Ribeira Grande, Cidade Velha, Património da Humanidade, Cabo Verde

Cidades Património da Humanidade da Europa do Sul e Mediterrâneo reuniram-se em Cabo Verde.

As cidades Património da Humanidade realizam no próximo ano um encontro de embaixadores jovens no qual irão abordar temas relacionados com património e turismo.

A decisão foi tomada na reunião da Conferência da Europa do Sul e Mediterrâneo da Organização das Cidades do Património da Humanidade, que terminou na quinta-feira, 7, na cidade da Ribeira Grande de Santiago, em Cabo Verde.

Turismo e património foram temas que dominaram o encontro realizado no que é conhecido como sendo o “berço da Nação cabo-verdiana”.

Cidade Velha, como é popularmente conhecida, mas cujo nome oficial é Ribeira Grande de Santiago, é o membro mais novo da Organização das Cidades do Património Mundial, depois de ter sido considerada como tal pela Unesco em Junho de 2009.

Durante dois dias, representantes de 12 cidades da Áustria, França, Espanha, Portugal, Bélgica e Senegal, além do anfitrião, discutiram assuntos que preocupam as cidades Património da Humanidade.

Paula Cordeiro, arquitecta da Câmara de Bruxelas

Paula Cordeiro, arquitecta da Câmara de Bruxelas

Um dos mais importantes da actualidade é a relação entre património e turismo e, por isso, os participantes na conferência marcaram para 2017 um encontro de embaixadores jovens, com representantes de todas as cidades que são património mundial.

Cidades que não sejam museus

Paula Cordeiro, arquitecta da cidade de Bruxelas, disse à VOA que “há que fazer tudo para que as cidades Património da Humanidade não se transformem em museus, mas que sejam cidades vivas”.

Como exemplo, citou o caso de Bruxelas em que o centro da cidade é dominada por casas pequenas, com o comércio a ocupar a rés-do-chão, enqaunto o resto está vazio.

Para enfrentar este problema, a cidade “desenvolve há 15 anos um projecto para trazer as pessoas”, explica Cordeiro, de modo a que “a cidade não seja apenas visitada pelos turistas”.

Muito por fazer na Cidade Velha

Apesar de ter o estatuto de Património da Humanidade há sete anos, a Cidade de Ribeira Grande de Santiago continua com “muitos projectos na carteira”, como explica o presidente da Câmara Municipal que atribui responsabilidades ao anterior Governo por não ter fornecido os apoios necessários”.

Manuel de Pina, presidente da Câmara Municipal de Ribeira Grande de Santiago, Cidade Velha, Cabo Verde

Manuel de Pina, presidente da Câmara Municipal de Ribeira Grande de Santiago, Cidade Velha, Cabo Verde

Manuel de Pina considera haver agora outra postura para fazer da Cidade Velha um “centro de atracção turística de Cabo Verde.

Para isso, reitera, “necessitamos do envolvimento de todos, do Governo, das populações, de investimentos em matéria de saneamento, na área ambiental, de modo a colocarmos todo este património à disposição de todos”.

Manuel de Pina mostra-se também optimista de que a reunião desta semana vai abrir espaço a mais oportunidades de cooperação.

XS
SM
MD
LG