Links de Acesso

Chuvas causam mortes e estragos no Lubango

  • Teodoro Albano

 Lubango

Lubango

Autoridades avisam populações em zonas consideradas perigosas

As chuvas que se abateram sobre o Lubango nas últimas duas semanas deixaram um rasto de destruição assinalável na capital da Huíla, principalmente nas zonas periféricas.

Um balanço recente dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros indica a morte de duas pessoas e o ferimento de outras duas como consequência do desabamento de residências devido às chuvas.

O mesmo registo indica a queda de uma árvore devido à chuva acompanhada de fortes ventos no bairro Comercial sobre a ponte do rio Mukufi que por largas horas cortou a circulação rodoviária no centro da cidade, bem como a inundação de quatro residências sem danos a registar.

Os Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, ante a previsão de muita chuva nos próximos tempos, alerta à população a observar alguns cuidados, segundo o porta-voz Inocêncio Hungulo.

“Temos residências sobre algumas valas de drenagem e ainda algumas sobre o leito de rios, tanto é que quando registamos as quedas pluviométricas a tendência dos rios é o caudal aumentar”, disse Hungulo.

“Nós apelamos também para o bom senso daquelas pessoas que têm sido avisadas pelos nossos técnicos da protecção civil”, acrescentou o responsável.

As chuvas têm deixado também intransitáveis algumas ruas no Lubango com a elevada degradação do tapete asfáltico, provocando na maioria dos casos enormes buracos na estrada.

A administração municipal refere que com a intensidade das chuvas o mínimo que pode fazer nesta altura é tentar recuperar as partes mais críticas da cidade.

“Então estamos a fazer um trabalho paliativo só para facilitar a circulação de pessoas e bens”, disse o administrador municipal do Lubango, Francisco Barros.

XS
SM
MD
LG