Links de Acesso

Chefe de operações da Comissão de Eleições da Beira detida por desvio de votos

  • VOA Português

Cidade da Beira

Cidade da Beira

Sónia Horácio Dzimba tentou introduzir 400 votos falsos.

Sónia Horácio Dzimba, chefe de operação da Comissão Eleitoral da Cidade(CEC) e membro do partido Frelimo, foi apanhada pela polícia em flagrante quando tentava trocar editais verdadeiros por falsos, na cidade da Beira, capital da província de Sofala.

Segundo o Canalmoz, que cita fontes da CEC, ela está detida desde ontem, 20, à noite, na 3a. Esquadra na polícia, no Bairro de Matacuane, na Beira. Dzimba, por agoar, acusada por crime de desvio de votos e falsificação de dados na sala das Operações Técnicas da Comissão de Eleições da cidade da Beira.

Este caso, segundo várias fontes citadas pelo Canal Moz, começou com um movimento estranho da referida funcionária da CEC, no período de almoço. A certa altura, Sónia Horácio Dzimba convidou os seus colegas afectos àquele departamento para saírem a fim de irem almoçar, deixado assim a sala vazia com os dados processados referentes aos editais da cidade da Beira.

Já no período da tarde, a funcionária foi flagrada pelos seus companheiros de sala com novos editais na mão. Os novos dados eram diferentes dos que tinham sido lançados no sistema no período de manhã, segundo as fontes do Canalmoz que dizem ter assistido a tudo.

“Quando questionada a respeito da proveniência dos editais em causa, ela optou por dizer que os recebeu dos outros colegas da direcção provincial do STAE de Sofala e que eram referentes às assembleias de votos que ainda não tinham sido contabilizados no processo de dados da cidade da Beira”, revelou uma das fontes. Depois os colegas verificaram que os tais editados eram falsos por que "traziam somente uma e única assinatura, a do presidente da mesa de voto, e davam vantagem ao candidato da Frelimo, Felipe Nyusi e ao Partido Frelimo”, continuaram as testemunhas oculares que revelaram ainda que os "referidos editais falsos tinham 400 votos a mais em cada mesa”.

Quando detectaram a burla eleitoral, os colegas de Sónia Horácio Dzimba encaminharam o caso para as instâncias eleitorais de nível imediatamente superior, a nível provincial. Ao analisar o caso, a direcção do STAE e da CPE (Comissão Provincial de Eleições de Sofala) que se reuniram de emergência, decidiram solicitar à policia a detenção da funcionária. Foi de imediato conduzida às celas da polícia em Matacuane.

Entretanto, o Canalmoz apurou que já foi aberto um auto contra Sónia Horácio Dzimba, que hoje deverá ser transferida para a Cadeia Feminina do Macuti onde poderá permanecer detida até ao dia do seu julgamento no Tribunal Judicial da cidade da Beira, ainda sem dada anunciada.

Os dados referentes à cidade da Beira deviam ter sido divulgados ontem pela Comissão Provincial de Eleições de Sofala, o que ainda não aconteceu.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG