Links de Acesso

Chefe de Estado Maior do Burundi diz que tentativa de golpe fracassou


Manifestantes em Bujunbura.

Manifestantes em Bujunbura.

Presidente da República ainda não regressou ao país.

O chefe de Estado Maior do Burundi disse nesta quinta-feira, 15, que a tentativa de golpe de Estado anunciada ontem por um general fracassou e forças leais ao presidente Pierre Nkurunziza continuam no poder.

"A tentativa de golpe fracassou, forças leais ainda controlam os pontos estratégicos", disse Prime Niyangabo em declaração transmitida pela rádio estatal e citada pela Reuters.

O Presidente Pierre Nkurunziza, que se encontra na Tanzânia a participar numa conferência de uma Comunidade da África Oriental quando a tentativa de golpe foi anunciada, pediu os cidadãos que mantivessem a calma numa mensagem publicada no site presidencial e na sua conta no Twitter.

Na guerra civil de Burundi, que terminou em 2005, o Exército era comandado pela minoria tutsi, que lutou contra grupos rebeldes da maioria hutus, incluindo um grupo liderado por Nkurunziza.

O exército foi reformado deste então para absorver facções rivais, mas ainda existem muitos conflitos apesar, de aparentemente, os militares continuarem a defender não pretenderem intervir na crise política actual.

Há cerca de um mês milhares de manifestantes foram às ruas de Bujumbura para protestar contra a recandidatura do actual Presidente da República a um terceiro mandato que, segundo a oposição, viola os acordos de Arusha que estabeleceram a paz no país após a guerra civil.

O Tribunal Constitucional, entretanto, considerou legal a pretensão de Pierre Nkurunziza, que marcou as eleições para as próximas semanas, sem precisar a data.

A União Europeia e a oposição já se manifestaram contra a realização das eleições por não haver condições para um processo justo e livre.

Cerca de 19 pessoas foram mortas nos recentes confrontos e milhares fugiram para os países vizinhos.

XS
SM
MD
LG