Links de Acesso

Opinião pública reage com bom grado a proposta da CASA-CE para as autárquicas

  • Manuel José

Abel Chivukuvuku num comício da CASA-CE em Luanda durante a campanha de 2012

Abel Chivukuvuku num comício da CASA-CE em Luanda durante a campanha de 2012

Líder do partido da oposição, Abel Chivukuvuku defendeu a criação de uma plataforma dos partidos da oposição para juntos concorrerem as eleições autárquicas de 2015

A ideia da CASA-CE criar uma plataforma comum da oposição visando as

eleições autárquicas ainda não se materializou mas já começou a gerar

reacções entre os entendidos em matéria política nacional.

A política Alexandra Simeão por exemplo acha que um fórum desta

natureza seria uma grande oportunidade para se debater várias ideias.

"Este fórum por exemplo poderia ser um grande espaço

de sabedoria."

Já a jornalista e activista social Suzana Mendes pensa que as nossas

forcas político-partidárias ainda não estão muito habituadas a

trabalhar em conjunto.

Suzana Mendes "falar de uma possível estratégia comum está em jogo o

ego pessoal dos líderes, o historial de cada partido politico e em

Angola não há ainda muita tradição na oposição em trabalhar em

conjunto"

Uma ideia que encontra respaldo na opinião do cientista político

Nelson Pestana Bonavena.

“É salutar a unidade política mas não é a unidade

orgânica dos partidos porque existem diferenças de pensamentos, por

isso existem partidos diferentes e isto expressa a pluralidade

nacional."

Mais importante do que isso, diz Bonavena, é necessário que as forcas

políticas da oposição consigam acabar com o que considera de monopólio

da fraude protagonizado pelo MPLA.

Nelson Bonavena "Enquanto os partidos da oposição não conseguirem

quebrar o monopólio da fraude, dificilmente vai se reverter o actual

quadro politico angolano."

Bonavena lembra ainda que já existe actualmente uma plataforma de

concertação dos partidos opositores em Angola, falta apenas que a

CASA-CE integre este fórum.

"Uma plataforma politica de concertação dos partidos

políticos da oposição com e sem assento parlamentar já existe, a

CASA-CE deve integrar esta plataforma que existe."

A jurista Ana Paula Godinho vê a questão do ponto de vista da

credibilidade dos partidos da oposição que para ela não existe.

"A maioria dos partidos da oposição peca por isso,

não são levados muito a serio, quebram-se facilmente, passam uma

imagem ao cidadão de pouca credibilidade."

XS
SM
MD
LG