Links de Acesso

Cartoonista Justino Cardoso critica casamentos prematuros em Mocambique

  • Adina Sualehe

Justino Cardoso Cartoonista

Justino Cardoso Cartoonista

Desvalorização da educação continua a levar as famílias a casarem as suas filhas cada vez mais cedo.

O artista plástico Justino Cardoso expõe banda desenhada contra os casamentos prematuros, no Museu Nacional de Etneologia de Nampula.

A obra de Justino Cardoso já percorreu alguns distritos da província de Nampula e brevemente será levada até à província de Cabo Delgado.

O objectivo da banda desenhada é desencorajar o casamento prematuro das meninas, que tem impacto negativo nas suas vidas.

Nesta obra, Cardoso fala de casamentos prematuros como um fenómeno social que tem origem no sistema matrilinear que se verifica na região norte do pais, em particular em Nampula.

A pressão económica exercida sobre as famílias mais pobres e a desvalorização da educação continuam a levar as famílias a casarem as suas filhas cada vez mais cedo. Algumas antes dos 12 anos de idade.

Cardoso defende com a sua obra a revisão dos ritos de iniciação femininos, pois os ensinamentos dados às meninas comprometem a vida delas. Quando elas saem dos ritos são consideradas sexualmente activas e capazes de cuidar da casa e marido, na sua maioria muito mais velho.

Cardoso disse à VOA que é necessário educar a sociedade a vários níveis sobre as consequências negativas dos casamentos prematuros, um fenómeno largamente ignorado, devido à falta de colaboração dos pais e encarregados de educação.

Ao nível mundial, Mocambique tem uma das taxas mais elevadas de prevalência de casamentos prematuros.

De acordo com os dados do Inquérito Demográfico e de Saúde de 2011, 48% de raparigas com a idade entre os 20-24 anos tinha casado antes dos 18 anos e destas 14% antes dos 15 anos.

XS
SM
MD
LG