Links de Acesso

Candidatos presidenciais na Guiné-Bissau prometem respeitar resultados das eleições

  • Alvaro Ludgero Andrade

Candidatos presidenciais na Guiné-Bissau e o Presidente de Transição

Candidatos presidenciais na Guiné-Bissau e o Presidente de Transição

Representantes da comunidade internacional entre eles Ramos-Horta, da ONU, e Ovídio Pequeno, da UA, manifestaram o seu agrado pelo encontro a dois dias do início da campanha eleitoral para a segunda volta da eleição presidencial que começa amanhã.

Os dois candidatos presidenciais na Guiné-Bissau assumiram o compromisso de respeitar os resultados da segunda volta da eleição a realizar-se no próximo dia 18.

O encontro entre José Mário Vaz, do PAIGC, e Nuno Gomes Nabiam, independente mas apoiado pelo PRS e pela cúpula do exército, foi patrocinado pelo Presidente de Transição Manuel Serifo Namadjo e aconteceu ontem, 30 de Abril.

Os dois candidatos presidenciais na Guiné-Bissau assumiram o compromisso de respeitar os resultados da segunda volta da eleição a realizar-se no próximo dia 18. O encontro entre José Mário Vaz, do PAIGC, e Nuno Gomes Nabiam, independente mas apoiado pelo PRS e pela cúpula do exército, foi patrocinado pelo Presidente de Transição Manuel Serifo Namadjo e aconteceu ontem, 30 de Abril, que desta forma pretendeu dar um sinal aos apoiantes de ambos candidatos quanto aos caminhos a seguir depois da eleição.

Representantes da comunidade internacional entre eles Ramos-Horta, das Nações Unidas, e Ovídio Pequeno, da União Africana, manifestaram o seu agrado pelo encontro entre José Mário Vaz e Nuno Gomes Nabian, a dois dias do início da campanha eleitoral para a segunda volta da eleição presidencial que começa amanhã.

Na ocasião, o Presidente de Transição Manuel Serifo Nhamadjo instou os dois candidatos a contribuírem para que a segunda volta supere a primeira em termos de sucesso.

Para o analista Rui Landim, o encontro de ontem foi, sem dúvida uma acção do Presidente de Transição que dessa forma quis dar um sinal a todos os actores no país.

Em conversa com a Voz da América, Landim considera que também os candidatos quiseram dar este sinal.

Questionado se a mensagem chegará aos quartéis, de onde, tradicionalmente, têm saído os golpes que desestabilizaram a Guiné-Bissau, Rui Landim lembra o apelo do representa especial do Secretário-Geral das Nações Unidas Ramos Horta que aponta nesse sentido

Na primeira volta José Mário Vaz, o candidato do PAIGC, conseguiu 41 por cento dos votos, enquanto Nuno Gomes Nabiam, independente mas que nesta segunda volta tem o apoio do PRS e da cúpula militar, ficou próximo dos 24 por cento.

Um deles será o próximo presidente da Guiné-Bissau, cuja eleição realiza-se no dia 18 destes mês, enquanto o Governo será da responsabilidade do PAIGC, partido de Domingos Simões Pereira que ganhou as eleições legislativas do passado dia 13.

A campanha eleitoral começa amanhã, 2 de Maio.
XS
SM
MD
LG