Links de Acesso

Canção popular homenageia Cassule e Kamulingue

  • António Capalandanda

Poster da vigília por Kamulinge e Cassule

Poster da vigília por Kamulinge e Cassule

Muito antes do apelo à manifestação feito pela UNITA para demostrar a indignação perante a situação no país, um movimento de protesto ganhava corpo nas zonas rurais por causa do desaparecimento dos dois activistas.


É no interior do município do Kutchi, oeste da cidade de Menongue, província do Kuando Kubango, onde a população encontrou numa canção em língua local como meio de mobilização para protestar contra o desaparecimento dos dois activistas.

Desconhece-se o título e autor da mesma, mas ela é cantada por várias pessoas no sudoeste de Angola.

A canção tem uma estrutura bem definida. Apresenta uma sucessão coerente de sons e silêncios que se desenvolvem numa sequência linear com identidade cultural local.

A combinação das vozes encontra suporte no som dos compassos dos pés e no ritmo. Ela tem sido usada em concentrações populacionais.

Em resumo, diz basta às injustiças e exige mudança no país.

“Luanda levou o nosso irmãos Kamulingue e Cassule, isso não é bom, precisamos de mudança, chega de injustiças, queremos mudança”, diz a canção.

Em Kutchi a população não tem acesso à internet e eletricidade. As pessoas recorrem a rádios a pilhas para se actualizarem sobre o país. A Voz da América tem sido o único meio alternativo na região.

Cassule e Kamulingue foram raptados em Maio do ano passado por elementos da segurança do estado de Angola quando organizavam uma manifestação anti-governamental.

A Procuradoria Geral da República admitiu o rapto e inclusive a possibilidade de terem sido mortos.
XS
SM
MD
LG