Links de Acesso

Camionista morre em ataque da Renamo

  • Simião Pongoane

Afonso Dhlakama continua em parte incerta depois do ataque contra o seu quartel-general na Gorongosa

Afonso Dhlakama continua em parte incerta depois do ataque contra o seu quartel-general na Gorongosa

O camião integrava uma coluna de viaturas escoltadas pelos militares entre o Rio Save e Muxungué mas teve avaria mecânica e ficou para trás.

Em Moçambique, um camionista morto e um camião carbonizado é o rescaldo do ataque protagonizado ontem à noite pelos guerrilheiros da Renamo na estrada nacional número 1no troço entre as províncias de Inhambane e Sofala.
Segundo relatos do ajudante do malogrado camionista, o carro transportava Sal a partir de Mambone, em Inhambane, para Nhamatanda, em Sofala, quando caiu numa emboscada dos guerrilheiros da Renamo.

O camião estava na coluna de viaturas escoltadas pelos militares entre Rio Save e Muxungue, mas teve avaria mecânica e ficou sozinho na zona perigosa.

O ajudante conseguiu fugir ileso quando viu que o motorista fora atingido por balas, tendo ficado toda a noite no mato. Ele apresentou-se na manhã de hoje numa unidade sanitária com pequenas escoriações.

Este foi o terceiro ataque protagonizado esta semana pelos guerrilheiros da Renamo na mesma zona, tendo resultado em dois mortos e dez feridos.

Entretanto, a Polícia de Intervenção Rápida ocupou hoje a sede provincial da Renamo na cidade da Beira em alegado cumprimento de uma ordem judicial para fazer busca de armas e apreensão de material letal.

Durante a operação, nove guerrilheiros da Renamo foram detidos. A Polícia apreendeu armas de guerra e mais de quatro centenas de munições. O Chefe das Operações da Polícia em Sofala disse que as ações de busca e apreensão de armamento nas propriedades da Renamo vão continuar.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG