Links de Acesso

Cabo Verde apoia candidatura de António Guterres a SG da ONU

  • Redacção VOA

Antonio Guterres

Antonio Guterres

Primeiros-ministos de Cabo Verde e Portugal falaram sobre o tema.

O primeiro-ministro de Cabo Verde garantiu nesta sexta-feira, na Praia, que o Governo do arquipélago apoia a candidatura de António Guterres a secretário-geral das Nações Unidas.

«Se António Guterres se candidatar contará com todo o empenhamento do Governo e do povo de Cabo Verde e, no quadro bilateral e multilateral, designadamente na CPLP, PALOP e Nações Unidas, para que seja eleito, tenha sucesso nesta candidatura e possamos assim ter um lusófono à frente da secretaria-geral das Nações Unidas», disse José Maria Neves à margem de uma cerimónia para assinalar o arranque da emissão do passaporte electrónico em Cabo Verde.

Para Neves, António Guterres seria "um excelente candidato", depois de ter desempenhado com “elevado mérito o cargo de alto-comissário para os Refugiados”.

O primeiro-ministro que termina o seu terceiro mandato à frente do Governo em Abril lembra que Guterres desempenhou altas funções em Portugal e tem “estatura necessária para ser um grande secretário-geral das Nações Unidas neste tempo mais conturbado, mais difícil da humanidade em que precisamos enfrentar desafios importantes".

O assunto foi analisado entre os chefes de Governo de Cabo Verde e de Portugal durante a visita que o primeiro-ministro luso António Costa realiza ao arquipélago, “mas não há uma decisão ainda”, precisou José Maria Neves.

O jornal português Público revelou nesta sexta-feira que o Executivo de Lisboa “vai apresentar a candidatura de António Guterres a secretário-geral das Nações Unidas”.

A apresentação oficial da candidatura do antigo primeiro-ministro e, até ao final de 2015, alto-comissário da ONU para os Refugiados deverá ser feita no próximo mês de Fevereiro.

O primeiro-ministro já informou o Presidente da República, Cavaco Silva, de que está a proceder às diligências inerentes ao patrocínio da candidatura de António Guterres.

Os líderes partidários com assento parlamentar também foram já informados por António Costa.

A mesma fonte adianta que o Executivo português está a levar já a cabo os contactos internacionais e diplomáticos para assegurar os apoios necessários.

A candidatura de Guterres junta-se a várias outras já oficialmente apoiadas pelos governos da Bulgária, Croácia, Macedónia ou Eslovénia.

Da Bulgária surgiram dois nomes, a directora geral da Unesco, Irina Bokova, que é apoiada oficialmente pelo Governo, e a comissária europeia para o Orçamento e Recursos Humanos, Kristalina Georgieva.

A Macedónia apresentou o nome do seu ex-ministro dos Negócios Estrangeiros e actual presidente da Assembleia Geral da ONU, Srgjan Kerim.

Por seu lado, a Croácia apoia a candidatura da sua ministra dos Negócios Estrangeiros e Assuntos Europeus, Vesna Pusíc.

XS
SM
MD
LG