Links de Acesso

Brasileira cria projecto para alegrar a vida de crianças que aguardam o tratamento contra o cancro

  • Danielle Stescki

Voluntários da iniciativa intitulada Projeto Desenhando Sorrisos

Voluntários da iniciativa intitulada Projeto Desenhando Sorrisos

“Para fazer a alegria das crianças só precisa de boa vontade e tempo,” explica Melina Rodrigues.

Melina Cardoso Rodrigues, de 31 anos, é farmacêutica bioquímica e trabalha no banco de sangue regional do município de Passo Fundo, Rio Grande do Sul, Brasil.

Em Agosto do ano passado ela conseguiu realizar um sonho: lançou a iniciativa intitulada Projeto Desenhando Sorrisos, que consiste em acções lúdicas com crianças e adolescentes que lutam contra o cancro no Hospital São Vicente de Paulo, em Passo Fundo.

“Eu sempre quis desenvolver uma actividade que fosse tirar [as crianças] daquele ambiente triste e difícil do tratamento contra o cancro,” diz.

Para implantar o projecto, Rodrigues convidou amigos, e hoje já conta com 30 voluntários, que se revezam todas as quartas-feiras à tarde.

As actividades lúdicas acontecem no ambulatório do hospital, enquanto as crianças aguardam para fazer quimioterapia ou acompanhamento de consulta.

Os voluntários são muito criativos e capricham no visual. Há palhaços, super-heróis, fadas, personagens infantis de televisão. “As crianças adoram”, acrescenta Rodrigues.

Além do trabalho voluntário no hospital às quartas-feiras, Melina Rodrigues coordena uma campanha permanente de doação de mechas para a confecção de perucas para as crianças que perderam o cabelo durante a quimioterapia.

Para doar uma mecha de cabelo, o comprimento a ser cortado tem que ser de no mínimo 15 centímetros. Rodrigues conversou com cabeleireiros profissionais em Passo Fundo e formou parcerias.

Quem quiser doar mechas pode visitar um dos cabeleireiros parceiros do projecto e cortar os 15 centímetros gratuitamente. Ela avisa que as pessoas interessadas podem também cortar com seu cabeleireiro de confiança e doar a mecha de cabelo.

As mechas são enviadas para a ONG Cabelaço, que faz perucas gratuitamente para crianças de baixa renda con cancro no Rio Grande do Sul.

Sobre o Projeto Desehando Sorrisos, Rodrigues diz que é uma ideia muito fácil de ser replicada. "Basta se organizar com os amigos", afirma. Ela comenta que "se houver alguém que toque um instrumento é ainda melhor", mas não é necessário. "As crianças não exigem muito” explica.

Para saber mais sobre o Projeto Desenhando Sorrisos visite a página
no Facebook.

“Espero que seja uma ideia bacana que consiga ser multiplicada porque realmente faz a diferença pelo retorno que a gente tem das crianças e dos pais. A gente percebe que é muito gratificante e vale a pena”, conclui Melina Cardoso Rodrigues.

Veja a galeria de fotos sobre o projecto

XS
SM
MD
LG