Links de Acesso

Para onde as manifestações populares vão levar o Brasil

  • Maria Cláudia Santos

Edifício comercial danificado no Rio de Janeiro

Edifício comercial danificado no Rio de Janeiro

O governo brasileiro vive momentos de grande tensão depois desta quinta-feira, 20, quando os protestos nas ruas de mais de 100 cidades do país reuniram mais de um milhão de brasileiros, resultaram em confrontos, uma morte e centenas de feridos.

A presidente Dilma Rousseff (PT) teve que convocar reunião de emergência com todos os ministros para discutir como o governo vai lidar com essa nova realidade política brasileira e, principalmente, garantir a segurança no país.

Nos atos dessa quinta-feira manifestantes depredaram e chegaram a atear fogo contra o prédio do Ministério das Relações Exteriores (MRE) e tentaram invadir o Congresso Nacional, em Brasília. Grupos isolados também atacaram prédios de prefeituras de algumas cidades, saquearam lojas e colocaram fogo em veículos, inclusive da imprensa.


As situações mais tensas foram na cidade do interior de São Paulo, Ribeirão Preto, onde um manifestante foi morto atropelado e em Salvador, Porto Alegre e Belém, onde uma trabalhadora do serviço de limpeza da cidade morreu após inalar gás lacrimogênio.

O movimento que sacode o Brasil, com pessoas nas ruas fazendo reivindicações variadas, não dá sinais de um desfecho rápido. Apesar dos integrantes do Movimento pelo Passe Livre, que iniciaram a revolta nas ruas, indicarem que não vão convocar mais protestos, as articulações para mais manifestações, no fim de semana, já são intensas. São grupos de todas as naturezas organizando protestos grandiosos em várias cidades do Brasil, sobretudo no sábado. Assim como ocorreu durante toda a semana, os atos são programados pelas redes sociais com confirmações de presenças de milhares de pessoas.

Depois de uma semana de manifestos que chamam a atenção do mundo inteiro - os mais intensos, numerosos e violentos dos últimos 20 anos no Brasil - muitos analistas tentam prever as consequências do movimento que está sendo identificado popularmente como “Brasil Acordou”.

Para muitos deles, as perspectivas são preocupantes. Analistas já falam até em risco de golpe contra o governo.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG