Links de Acesso

Bob Dylan é Nobel de Literatura 2016

  • Redacção VOA

Bob Dylan

Bob Dylan

Academia Sueca diz que foi escolhido "por criar uma nova expressão poética na tradicional canção americana".

O cantor e compositor americano Bob Dylan, de 75 anos, é o vencedor do Prémio Nobel de Literatura 2016, anunciou a Academia Sueca, nesta quinta-feira, 13.

A Academia Sueca, responsável pelo Nobel, declarou que Dylan foi escolhido "por criar uma nova expressão poética na tradicional canção americana".

Em 55 anos de carreira, o cantor e escritor americano lançou 37 álbuns, sendo o último, "Fallen angels", em Maio deste ano.

Sara Danils, secretária permanente da Academia Sueca, descreveu Dylan como um "grande amostrador. E há 54 anos ele tem se reinventado. A começar por 'Blonde on blonde', um exemplo extraordinário de sua maneira brilhante de rimar, juntando refrãos, e de sua maneira brilhante de pensar".

Embora o nome de Dylan fosse cotado para o prémio há muitos anos, Dylan não se encontrava entre os primeiros nas bolsas de apostas.

Bob Dylan torna-se assim o primeiro músico a vencer o prémio maior da Literatura.

Com este prémio, os Estados Unidos voltam a ter um Nobel de Literatura e, curiosamente, através de um compositor e cantor.

Toni Morrison foi a última americana a vencer o prémio em 1993.

O japonês Haruki Murakami era apontado como favorito, embora na lista estivessem nomes como os do poeta sírio Adonis, do romancista queniano Ngugi wa Thiong'o e dos americanos Don DeLillo, Philip Roth e Joyce Carol Oates.

Em 2015,a vencedora foi a bielorrussa Svetlana Alexievitch foi a premiada.

O artista e a obra

Robert Allen Zimmerman nasceu a 24 de Maio de 1941, em Duluth, Minnesota, nos Estados Unidos, cresceu numa família judaica mas viria a converter-se ao Cristianismo em 1979, segundo o próprio Bob Dylan.

Mais tarde, abandonou a universidade e instalou-se em Nova Iorque no início da década de 1960.

Considerado um dos maiores da música americana, ganhou 11 prémios Grammy, um Oscar e um Globo de Ouro, e se reinventou por diversas vezes: desafiador do pop, estrela de rock, cristão missionário e poeta sábio.

Em 2004, foi eleito pela revista americana "Rolling Stone" o segundo melhor artista de todos os tempos, atrás apenas dos Beatles.

Como escritor publicou cerca de 30 livros, entre eles, "Bob Dylan himself: His words, his music" (1965), "Tarantula" (1971), "Poem to Joanie" - com introdução de A. J. Weberman (1971), "Drawn blank" (1994), "Man gave names to all the animals", "Chronicles: Volume one" (2004), "Forever young" - ilustrado por Paul Rogers (2008), "Blowin’ in the wind" - ilustrado por Jon J. Muth (2011) e o mais recente "If not for you" - ilustrado por David Walker (2016).

XS
SM
MD
LG