Links de Acesso

Governo de Bissau nega envolvimento no "Caso Na Tchuto"

  • Lassana Casamá

Procurador-geral guineense afirma que se assiste a uma campanha de difamação do país

Na Guiné-Bissau o procurador-geral da república, Abdu Mane, veio hoje a público para dizer que é prematuro avançar com detalhes judiciais sobre a detenção do ex-chefe da armada Bubo Na Tchuto, pelas autoridades americanas sob acusação de tráfico de drogas.
Negou também que o presidente e o primeiro-ministro de transição, Manuel Serifo Nhmadjo e Rui de Barros, sabiam dos negócios dos narcotraficantes e prometeu colaboração internacional na luta contra as drogas.

As declarações do procurador-geral foram proferidas hoje depois de um encontro com o primeiro-ministro, Rui de Barros, afirmando que são falsas as informações que indicam que Nhamadjo e Barros, estariam implicados no disfarçado tráfico de droga que culminou da detenção de José Américo Bubo na Tchuto.

E, justamente, sobre o caso Bubu Na Tchuto, Abdu Mane, afirma ser prematuro avançar com os detalhes judiciais. O procurador-geral, sem especificar, afirmou haver uma campanha negra contra o estado da Guiné-Bissau e falou da existência de maus e bons vizinhos.

Com essas as declarações o procurador-geral pretenderia implicar um estado da região na detenção de Na Tchuto e na informação sobre o alegado envolvimento dos dirigentes políticos guineenses na operação de tráfico de estupefacientes que resultou na detenção do antigo chefe da armada guineense por agentes americanos.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG