Links de Acesso

Itália: Berlusconi promete demitir-se


Primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, terça-feira à tarde no Parlamento

Primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, terça-feira à tarde no Parlamento

O anúncio aconteceu horas depois de ganho voto orçamental mas ter perdido o apoio da maioria dos legisladores

O primeiro-ministro Silvio Berlusconi apresentará a sua demissão depois de o parlamento aprovar um crucial pacote de reformas económicas, destinado a estabilizar a economia italiana.

O anúncio da iminente demissão foi feito por Giorgio Napolitano, o presidente italiano, horas depois de Berlusconi ter ganho um crucial voto orçamental no parlamento, mas ter perdido o apoio da maioria dos legisladores que podiam sustentar o seu governo.

Apesar de 308 deputados terem votado a favor da lei orçamental, outros 321 abstiveram-se. Não houve votos contra.

O que significa que Berlusconi não conseguiu os 316 votos necessários para que a maioria do parlamento apoiasse as suas reformas económicas.

A Itália é a terceira maior economia da zona euro e a sétima maior do mundo. Mas enfrenta uma potencial crise económica provocada por uma crescente dívida pública.

A votação era considerada um teste de confiança na liderança política de Berlusconi.

Após mais de metade do parlamento ter votado contra, a oposição exigiu de imediato a demissão do primeiro-ministro. A sua saída irá por termo a uma longa e quantas vezes tumultuosa carreira política.

O voto no pacote de reformas deverá ter lugar na próxima semana.

A crise da dívida que afecta a zona euro colocou pressão sobre o governo Berlusconi para que colocasse em vigor reformas impopulares de protecção à economia italiana.

A Itália tem sido afectada por um governo fraco e dividias consideradas demasiado grandes para que os seus parceiros europeus saldem. Mas Emiliano Alessandri, da Fundação Marshall, nos Estados Unidos, afirma que a saída de Berlusconi não resolverá os problemas estruturais de Itália.

XS
SM
MD
LG