Links de Acesso

Benguela: Camponesas expulsas por comprador anónimo


Ao fim de 40 anos de trabalho recebem menos de 50 dólares de compensação.

João Marcos

Trinta e oito camponesas estão a ser escorraçadas das suas áreas de cultivo, no perímetro agrícola da Catumbela, na sequência de um diferendo com um cidadão que diz ter adquirido o espaço.

O suposto comprador residente em Luanda começou já a vedar a área, o que implicou a destruição de produtos como banana, batata, cana e milho, já deteriorados.

As senhoras receberam indemnizações entre 4 e7 mil Kwanzas, menos de 50 dólares americanos, por uma parcela que lhes serviu de sustento durante cerca de 40 anos.

A saída das camponesas indicia a instalação de uma fábrica, presumindo-se que à frente da iniciativa esteja um advogado, conhecido apenas por Pedro, que não parece disposto a revelar a quem comprou a parcela de terra, já lá vão dois anos.

O camponês Xavier Tchivembe, que trabalha com a sua mãe há já 30 anos, diz suspeitar que haja envolvimento de funcionários do Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural

A vedação dos 200 metros de comprimento e 100 de largura, a cargo de cidadãos chineses, deu lugar a prejuízos incalculáveis.

Xavier Tchivembe refere que as camponesas estão a ser forçadas a viver de doações.

A VOA esteve na Direcção Provincial da Agricultura mas não obteve qualquer pronunciamento dos responsáveis.

XS
SM
MD
LG