Links de Acesso

Aumentam projectos de café no Kwanza Sul

  • Fernando Caetano

Processamento do café

Processamento do café

Acção Angolana para o Desenvolvimento cria entusiasmo pelos planos para se plantar mais café

Angola foi durante o tempo colonial um dos principais produtores de café do mundo. Agora começam a surgir planos para aumentar a produção do café no país.
A organização não-governamental Acção Angolana para o Desenvolvimento, AAD, está a implementar projectos de fomento da plantação do café arábica no Kwanza Sul.

A AAD notabilizou-se nos municípios do Sumbe, Seles e Amboim, mas agora as suas atenções estão centradas em Cassongue onde, segundo o seu responsável, Albino Chicale, implementa projectos de desenvolvimento comunitário tendo como bandeira o fomento do café arábico.





Depois de seis anos de trabalho na região de Cassongue, a AAD faz uma análise animadora da sua actividade na região e aponta novos projectos.

A organização está também envolvida no repovoamento florestal no Kwanza Sul.

Albino Chicale, que falava à rádio local, sublinhou a importância dos projectos naquela circunscrição, uma vez que segundo ele, quando a ONG se instalou em Cassongue a produção e comercialização do café era incipiente, apesar da tradição na produção do bago vermelho.

Na altura, foi realizada uma grande pesquisa para que a população de Cassongue acreditasse na riqueza que a região possui, riqueza essa que se chama café associado ao trigo.

«Hoje quem for ao Cassongue já consegue ver que quase todas as aldeias beneficiaram do nosso projecto e, este projecto do café de tanto impacto que está tendo aqui originou a que fossemos chamados pelas comunidades do município do Mussende, disse Chicale.

Pelo impacto do projecto, aquele responsável enfatizou que tais razões permitiram que a AAD fosse para o município do Mussende com um projecto semelhante que se estende até Setembro de 2014.

Por outro lado, a Acção Angolana para o Desenvolvimento tem neste momento mais dois projectos financiados, sendo um de formação profissional em parceria com a Igreja Evangélica Congregacional de Angola (IECA) e com a duração de dois anos no âmbito da protecção do meio ambiente. Este projecto visa evitar o derrube de árvores que tem contribuído para a escassez de chuvas que se regista.

Para o Mussende o projecto tem a duração de três anos e consiste no repovoamento florestal na comuna de São Lucas. O viveiro para o efeito já existe segundo Albino Chicale.

Além de trabalhar nas mudanças climáticas Albino Chicale diz que a Acção Angolana para o Desenvolvimento aposta na segurança alimentar através da diversidade e melhoria das culturas.

Além do café comercial e arábico, a província produz café robusta nos municípios do Amboim, Kilenda e Libolo.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG