Links de Acesso

Aumentam casos de grávidas com zika em Cabo Verde

  • Redacção VOA

Primeiras grávidas deram à luz sem qualquer anomalia e 130 estão a ser acompanhadas pelas autoridades.

A ministra-adjunta e da Saúde de Cabo Verde confirmou a existência de 130 grávidas infectadas com o vírus da zika, mas nenhuma dá qualquer sinal de micracefalia ou qualquer outra anomalia genética.

Enquanto os casos da doença caem vertiginosamente - de 400 por semana em Dezembro para 65 na primeira semana de Fevereiro - as de grávidas aumentaram.

Em entrevista à VOA no dia 4 de Fevereiro, Cristina Fontes Lima disse que as autoridades de saúde estavam a acompanhar 40 grávidas.

Cristina Fontes Lima, ministra-adjunta e da Saúde de Cabo Verde

Cristina Fontes Lima, ministra-adjunta e da Saúde de Cabo Verde

“Estamos a fazer o seguimento e, neste momento, tivemos já algumas a dar à luz sem quaisquer problemas, mas estamos convencidos que só nos poderemos pronunciar positivamente lá para Maio ou Junho, que será o período em que as pessoas afectadas terão os seus bebés”, disse a ministra em declarações à imprensa neste domingo durante uma campanha de limpeza num dos bairros da capital.

Fontes Lima garante que os serviços de saúde têm mapeado as mulheres grávidas que contraíram o vírus e que estão a ser seguidas com ecografias e outras análises regulares.

Apesar de reiterar que o país poderá deixar de registar qualquer caso de zika dentro de duas a três semanas, a ministra-adjunta e da Saúde defende o reforço das campanhas de limpeza de modo a evitar que o mosquito aedes aegypti, que existe há décadas em Cabo Verde, deixe de transmitir doenças.

Recorde-se que em 2008 Cabo Verde enfrentou uma grande epidemia de dengue, que é transmitida pelo mesmo mosquito.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG