Links de Acesso

Aumenta número de salas de aula na Huíla

  • Teodoro Albano

Sindicato diz que há ainda crianças em escolas ao relento e queixa-se da falta de actualização da carreira docente

Oitocentos e dezassete mil alunos dos diferentes níveis do ensino geral estão matriculados para o ano lectivo de 2014 na província da Huíla.




Os dados foram tornados conhecidos durante o acto que marcou a abertura oficial do ano lectivo realizado nesta quarta-feira no município de Chipindo a mais de 450 quilómetros a norte da cidade do Lubango.

O director da educação, Américo Chicoti, garante que estão criadas as condições com a disponibilidade de mais de seis mil salas de aulas em toda a província.

“Teremos em funcionamento 1.822 escolas destas 1.754 no ensino primário, 54 no primeiro ciclo 13 no segundo ciclo uma escola no ensino especial que vai perfazer um total de 6.293 salas distribuídas em todos os municípios da nossa província,” disse

Para o sindicato de professores na Huíla, o ano lectivo de 2014 arranca com alguns pendentes ainda por resolver, sobretudo, no tocante as condições laborais.

O secretário em exercício do SINPROF, Abel Cahali, aponta a existência de crianças a estudarem ao relento em pleno século XXI como uma das manchas que fragiliza o processo de ensino e aprendizagem.

Em 2014 o sindicato de professores espera que o governo respeite o compromisso que assumiu de actualizar a carreira docente de mais de cinco mil docentes, questão que esteve na base de duas greves no sector em 2013.

“ Em termos de motivação ainda estamos aqui com uma expectativa uma vez que o governo assumiu no primeiro semestre desse ano actualizar 5.716 professores,” disse.

“ São professores que alguns terminaram o perfil de bacharelato ainda ganham como técnicos médios outros são licenciados ou mestres ganham como bacharéis e ainda existem licenciados que ainda ganham como técnicos médios,” acescentou.

O ano lectivo de 2014 nos diferentes níveis do ensino na Huíla irá contar com mais de 20 mil professores.
XS
SM
MD
LG